É melhor trabalhar numa startup ou numa grande empresa?

Já deve estar a par da crescente popularidade das startups nos últimos anos. Fazer parte de um projeto promissor e em fase embrionária é uma ideia apelativa para quem pretende gerar significativas recompensas num futuro não muito distante e usufruir dos horários flexíveis e outros fatores apelativos que diferenciam as startups das restantes empresas.

Contudo, não ouvimos falar na diferença entre ambas as opções no que toca às carreiras no longo-prazo. Apesar dos incríveis horários proporcionados pelas startups, será que ao longo dos anos a sua carreira poderá crescer rapidamente trabalhando para uma? Esta é apenas uma das muitas questões que deve considerar antes de tomar uma decisão. Para o ajudar, decidimos explicar e comparar o funcionamento de uma startup e de uma grande empresa.

O que é uma startup?

Começando pelos básicos… Quando pensa na palavra startup, o que é que lhe vem à cabeça? Talvez um moderno escritório em Silicon Valley com duas salas de jogos, um trampolim e um ginásio com aulas gratuitas para todos? Apesar de não ser regra geral, é um cenário bastante realista para muitas empresas deste género.

Uma startup, ao contrário de uma grande corporação, é uma empresa jovem e ainda recente no mercado que se encontra em fase de desenvolvimento de produtos e serviços inovadores. Além disso, é considerada uma empresa com grande potencial para rápido crescimento, sendo frequentemente cobiçada por inúmeros investidores que acreditam no seu sucesso.

Alguns exemplos de empresas que começaram como startups são a Paypal, Airbnb, Facebook e Linkedin.

Quais as diferenças entre uma startup e uma grande empresa?

Tanto uma startup como uma grande empresa têm os seus pontos positivos e negativos dependendo do que pretende atingir a nível profissional. No geral, as diferenças chave entre ambas são conhecidas por todos: as startups têm horários mais flexíveis e equipas mais pequenas e, por outro lado, as grandes corporações são mais estruturadas e constituídas por muitas mais pessoas.

Decidimos aprofundar esta lista com mais algumas diferenças relevantes, e por vezes não tão reconhecidas, entre ambas as opções.

Startups / microempresas

Por norma, nas pequenas empresas os trabalhadores têm de fazer um pouco de tudo.

Maior frequência na mudança de responsabilidades

Diríamos que a grande diferença entre uma startup e uma grande empresa é a velocidade a que as coisas mudam. Numa empresa tradicional, o mais natural é desempenhar uma determinada função durante alguns anos até ser eventualmente promovido. Por outro lado, numa startup as suas funções podem mudar várias vezes ao longo de apenas um ano, ou seja, no espaço de alguns meses pode estar encarregue de tarefas completamente diferentes daquelas que inicialmente tinha quando foi contratado.

Esta é uma ótima oportunidade para que possa adquirir novas capacidades de forma rápida e eficiente.

Falta de mentores e orientação

Em termos de acompanhamento, as grandes empresas conseguem mais facilmente prestar atenção ao seu trabalho, a ajudá-lo e orientá-lo, pois existem mais pessoas que podem assumir essa posição. Pelo contrário, os poucos elementos que integram uma startup têm cada um os seus próprios projetos e o tempo que lhes resta não é suficiente para o acompanhar.

Assim, se gostar de muita autonomia no trabalho, as startups serão provavelmente uma boa escolha para si. Além disso, a falta de um orientador permite-lhe ganhar mais responsabilidade para se organizar de maneira a conseguir cumprir prazos e a realizar os seus projetos de forma independente.

Exige proatividade

Numa startup, muitas vezes uma pessoa não tem apenas uma única função a desempenhar. Devido ao número reduzido de elementos, a equipa faz um pouco de tudo e cada um tem de aprender a lidar com potenciais desafios e problemas que poderão surgir. Assim, um funcionário de uma startup tem de possuir uma grande capacidade de adaptação a novas e inesperadas circunstâncias e tem de ser rápido a aprender a lidar com novos cenários.

Rápido alcance a novos cargos

Trabalhar numa empresa ainda jovem e sem grande experiência no mercado é definitivamente mais arriscado do que trabalhar numa grande empresa já conhecida e bem estabelecida. Mas é como dizem: grandes riscos oferecem muitas vezes grandes recompensas. Quando uma startup começa a angariar mais investidores e espaço no mercado, também os seus elementos começam a receber alguns bónus como cargos superiores na empresa, algo que só aconteceria numa organização tradicional após muitos anos de experiência na mesma posição.

Grandes empresas

Regra geral, os trabalhadores gozam de menor autonomia nas grandes empresas.

Mais estrutura e organização

Ao contrário das startups, as grandes empresas costumam ter regras e práticas mais definidas. Cada pessoa está encarregue das suas próprias tarefas, não sendo comum haver cruzamento de responsabilidades entre os colegas da equipa. Há indicações mais claras quanto ao que deve e não deve fazer. Como resultado, não usufrui de tanta autonomia, o que pode ser uma vantagem ou desvantagem de acordo com as suas preferências.

Assegura salários e emprego

Se a empresa onde trabalha existir apenas há dois anos, o mais provável é que ainda não tenha atingido lucro. Claro que nunca há garantias absolutas em nenhum emprego, mas o mais provável é que uma grande empresa com bom posicionamento no mercado corra menos risco de ir à falência do que uma startup. Assim, ao trabalhar numa corporação melhor estabelecida, terá geralmente benefícios associados como a garantia de um emprego e salário no longo-prazo.

Salários mais elevados

Nas grandes empresas, os salários costumam ser mais elevados do que numa startup porque, mais uma vez, ao trabalhar numa empresa ainda embrionária, as margens de lucro são baixas ou inexistentes, o que obviamente se reflete nos salários. Por outro lado, apesar dos salários baixos, nas startups o mais provável é que muitos dos funcionários possuam percentagens mais elevadas da empresa.

Mais acompanhamento e crescimento pessoal

Numa grande empresa, o acompanhamento contínuo e as formações internas permitem a melhoria das capacidades dos funcionários que frequentemente recebem grandes oportunidades de trabalho com promissores caminhos internacionais. Além disso, ao trabalhar numa grande empresa, estará em contacto com uma equipa experiente na sua área e que o pode ajudar a crescer profissionalmente.

Como se pode verificar, existem mais fatores a considerar que vão além de horários, salários e benefícios. A escolha entre startup ou grande empresa depende unicamente de si e dos seus objetivos. Há pessoas que saltam entre os dois tipos de empresas, pois habituam-se bem ao formato de ambas, há outros que não sabem lidar com a grande autonomia e risco associado a trabalhar numa startup, enquanto outros gostam simplesmente de participar na criação de algo novo, portanto, a ideia de uma startup pode ser apelativa.

Esperamos que este artigo o tenha ajudado a perceber qual a opção que mais se adequa a si. Boa sorte!

Catarina Fonseca

Desde cedo uma curiosa nata, decidiu seguir Ciências da Comunicação para desenvolver a sua paixão pelo jornalismo e pela escrita. Agora formada, gosta de se aventurar pelo mundo, conhecer novas pessoas e culturas, e leva sempre um caderno e câmara fotográfica às costas para eternizar as suas experiências.

Adicionar comentário