Gripe: descubra o que é, como prevenir e como tratar

O que é a gripe?

É uma das principais questões que surgem quando o assunto é discutido. De uma forma simplificada, a gripe é uma infeção causada por um vírus, o H. influenzae, que pode ser do tipo A ou B e atinge o sistema respiratório (nariz, garganta e, por vezes, os pulmões).

A gripe é responsável, todos os anos, por epidemias de gripe, principalmente na altura do Inverno. Nos últimos anos, em Portugal tem sido mais frequente entre dezembro e fevereiro. Pode causar sintomas moderados e severos e, até, implicar internamentos nos hospitais. Em indivíduos imunocomprometidos, com as defesas mais em baixo, ou com múltiplas comorbilidades (como idade avançada ou outras doenças concomitantes) pode mesmo ser fatal.

A gripe é contagiosa?

Trata-se de uma doença altamente contagiosa, que é transmissível a partir de partículas que são libertadas quando um indivíduo doente tosse, espirra ou fala. Menos frequentemente, é possível apanhar gripe ao tocar numa superfície ou partes do corpo contaminadas com o vírus e, depois, levar a mão à boca, nariz ou olhos.

Pessoas com gripe são contagiosas nos primeiros 3 a 4 dias depois do início da doença, por vezes até 7 dias depois, altura na qual se deve redobrar os cuidados de higiene para evitar contaminações.

Quais os sintomas da gripe?

É frequente confundir uma simples constipação com uma gripe, já que os sintomas são, em parte, semelhantes, mas a última é bastante mais grave. Alguns dos sintomas que sugerem a presença de uma gripe são:

  • Febre (nem sempre presente) ou calafrios e tremores;
  • Dores musculares generalizadas;
  • Fadiga;
  • Tosse e dor de garganta;
  • Escorrência nasal ou nariz entupido;
  • Dores de cabeça;
  • Náuseas e vómitos (menos frequentes).

Uma característica da gripe é que tem instalação rápida dos sintomas. Por vezes, a gripe pode evoluir para situações mais graves, como pneumonias bacterianas, otites e agravamento das doenças de base, cursando com outros sintomas. Nestes casos deve ser procurado um médico assim que possível.

Como prevenir uma gripe?

Uma das medidas mais eficazes para prevenir a gripe é a vacinação, que está altamente indicada em indivíduos em risco, que são:

  • Pessoas a partir dos 65 anos;
  • Doentes imunodeprimidos;
  • Grávidas.

A vacinação deve ser feita, preferencialmente, em outubro e é necessário repeti-la anualmente, já que de ano para ano os vírus mudam e adaptam-se e a imunidade da vacina não é duradoura.

Um dos mitos que existem em torno da vacinação da gripe é que esta causará a gripe. No entanto, a vacina contém o vírus morto, pelo que não pode provocar a doença. O que pode acontecer é o aparecimento de outras infeções respiratórias, que não a gripe, durante este período.

Outras medidas que ajudam a prevenir o contágio são as medidas básicas de higiene, com a lavagem frequente das mãos com água e sabão e cobrir a boca quando se espirra ou tosse. Hábitos de alimentação saudáveis, com dieta rica em fruta e legumes e exercício físico contribuem para um organismo mais resiliente à gripe.

Quem tem direito à vacina da gripe?

A vacina, com receita médica, pode ser adquirida nas Farmácias, com uma comparticipação de 37%. Para alguns indivíduos, com as seguintes patologias, é gratuita nos centros de saúde, sem necessidade de declaração médica:

  • Diabetes Mellitus;
  • Terapêutica de substituição renal crónica (diálise);
  • Trissomia 21 (Síndrome de Down);
  • Doentes submetidos a transplante de células precursoras hematopoiéticas ou de órgãos sólidos.

É também gratuita nos centros de saúde, com declaração médica para doentes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC), a fazer quimioterapia, entre outros. O seu médico assistente saberá informá-lo sobre em que categoria se encontra.

Como se trata uma gripe?

Para perceber muitas das atitudes e medicações prescritas pelo médico, é importante perceber um pouco da história natural da doença. A maioria dos sintomas melhora em cerca de 5 dias, por vezes um pouco mais, com o cansaço a poder persistir por semanas.

Na maioria das pessoas os sintomas acabam por se resolver sem qualquer tipo de tratamento. Daí que, mesmo com uma gripe, nem todas as pessoas precisam de ir ao médico. Devem, sim, ter muito descanso e beber muitos líquidos, para evitar a desidratação. Analgésicos como o ibuprofeno e o paracetamol ajudarão a diminuir a febre e as dores musculares. Descongestionantes nasais ajudarão à desobstruir o nariz e certos fármacos para tosse diminuem a irritação de garganta.

Em indivíduos com mais doenças ou mais frágeis, ou quando a gripe tem uma resolução mais complicada com sintomas mais graves, deve ser procurado um médico. Sempre que possível, é importante dar preferência aos Médicos de Família, evitando-se idas às urgências hospitalares, onde o risco de apanhar outra infeção respiratória é superior.

De realçar que numa gripe os antibióticos não são eficazes já que se trata de uma infeção vírica.

Assim, resumindo, é importante prevenir, com medidas de higiene básicas e vacinação nos grupos de risco. Em caso de gripe, é expectável a necessidade de cerca de 5 dias para resolução dos sintomas, sendo que a maioria se trata com descanso e hidratação oral. Caso os sintomas sejam mais graves e preocupantes deve-se procurar ajuda especializada de um médico.

– Lúcia Ribeiro Dias, mestre em Medicina

A redação do trabalhador.pt

Adicionar comentário