Envelhecimento da pele: causas, tratamento e como evitar

O envelhecimento da pele é um processo natural que acontece com a passagem do tempo. Isto significa que em algum momento da vida todas as pessoas irão notar diferenças na textura da pele e sua aparência, especialmente uma maior flacidez e o surgimento de alguns sinais como rugas, linhas de expressão e manchas.

Estes sinais de envelhecimento costumam ficar mais evidentes no rosto, onde a pele é mais fina, especialmente na área dos olhos, que é ainda mais sensível. Não obstante, acontecem também em outras partes do corpo.

Regra geral o processo de envelhecimento da pele começa a partir dos 30 anos ou um pouco antes disso, quando o organismo diminui a produção de colagénio, proteína responsável pela elasticidade e hidratação da pele. A diminuição é gradual e vai aumentando com o passar da idade.

Assim, quanto mais velha é uma pessoa, maior será a tendência para ter a pele mais ressecada, fina, frágil e flácida, o que para muita gente pode ser um incómodo, já que acontece uma mudança na aparência.

No entanto, é possível lidar com o envelhecimento da pele de forma preventiva, retardando o surgimento desses sinais. Ou, caso já tenham aparecido, também é possível procurar formas de atenuar os seus efeitos.

Neste artigo vamos falar um pouco mais sobre o tema, abordando as causas que intensificam o problema, listando as possibilidades para retardar ou atenuar os efeitos do envelhecimento da pele de forma a manter um rosto com aspecto rejuvenescido por mais tempo.

O que causa o envelhecimento da pele?

Como já referido, a passagem do tempo é o principal fator que faz com que a pele comece a perder a elasticidade e fique mais envelhecida. Isso é algo natural e que vai acontecer com todos nós.

No entanto, existem alguns outros fatores e hábitos do dia a dia que podem acelerar o envelhecimento da pele, fazendo com que surja mais cedo ou aconteça de forma mais intensa.

As principais causas do envelhecimento da pele são:

  • Poluição: o contato diário com o ar poluído, situação comum para quem vive nas grandes cidades, causa uma obstrução dos poros, que pode desencadear alguns processos inflamatórios na pele.
  • Maus hábitos alimentares: os alimentos de grande valor calórico e uma grande concentração de açúcares “atrapalham” a produção do colagénio, deixando a pele mais propensa ao envelhecimento.
  • Tabaco e bebidas alcoólicas: os componentes químicos e tóxicos presentes em ambos interferem na saúde, bem como no funcionamento da pele.
  • Exposição solar em excesso: o sol é um dos grandes inimigos da saúde da pele e deve ser evitado, sobretudo durante os períodos de maior intensidade.
  • Não usar protetor solar: um dos principais fatores que causam o envelhecimento da pele, além de aumentar as probabilidades de desenvolver outros problemas de saúde.

Como retardar o envelhecimento da pele?

É impossível controlar o tempo, todavia, é possível evitar algumas das coisas que acima referimos e, assim, retardar o envelhecimento da pele.

Deixamos algumas dicas de cuidados que deve ter:

  • Criar uma rotina diária de limpeza de pele pela manhã e pela noite, usando sempre um sabonete específico para o seu tipo de pele;
  • Usar protetor solar, sobretudo no períodos de sol intenso;
  • Ter uma alimentação saudável, com mais legumes, verduras e frutas, menos alimentos processados e menos açúcar;
  • Beber muita água para garantir a hidratação da pele de dentro para fora;
  • Se for apanhar sol, opte pelo início da manhã ou o final da tarde, horários em que os raios solares são menos nocivos;
  • Se estiver na praia ou na piscina, além do filtro solar é importante usar acessórios como chapéus, óculos escuros, entre outros;
  • Consultar um dermatologista com frequência de forma a avaliar o estado da sua pele, bem como se os cuidados que tem são suficientes.

Tratar o envelhecimento da pele

Caso os sinais do envelhecimento já tenham aparecido, a boa notícia é que atualmente já existem diversos cosméticos e procedimentos estéticos que ajudam a reverter a situação, devolvendo a elasticidade da pele, deixando-a com um aspecto mais liso.

As alternativas vão desde o uso de produtos tópicos (cremes, séruns e pomadas) e orais (medicamentos), mais simples mas, porventura, menos eficazes, como também à realização de procedimentos estéticos não invasivos, mais morosos, mas, regra geral, mais eficazes.

Entre os mais conhecidos tratamentos estéticos não invasivos, destacamos: o botox, o laser, os peelings e os estimuladores de colagénio.

Cada um tem a sua própria função, podendo ser realizados individualmente ou até em conjunto. Importa referir que, regra geral, estes tratamentos podem ser realizados noutras partes do corpo, não apenas no rosto. Há também a possibilidade de começar a fazer estes tratamentos mesmo antes dos sinais de envelhecimento surgirem, até como forma de prevenção.

Porém, é importante lembrar que o que funciona para uma pessoa nem sempre irá funcionar para outra. Por este motivo é particularmente importante o aconselhamento de um profissional de saúde, designadamente de um dermatologista. Este, melhor do que ninguém, estará habilitado indicar o tratamento mais adequado.

Esperamos que todas estas dicas o tenham ajudado a perceber alguns dos principais aspetos do envelhecimento da pele, nomeadamente as suas causas e formas de o retardar.

Mariana Bueno

Brasileira, jornalista e escritora. Desde criança tem os livros como os seus grandes companheiros e, mais tarde, transformou a escrita em profissão. É formada em Comunicação e pós-graduada em Media Digitais. Gosta de transmitir informações por meio dos seus textos e adora ouvir e contar boas histórias, de preferência as que descobre ao viajar por diferentes lugares.