Doenças dos olhos: guia sobre as doenças oftalmológicas

A visão é um dos sentidos mais importantes do nosso corpo, sendo determinante na forma como interagimos com o que nos rodeia. É através da visão que cerca de 85% das informações do “mundo exterior” são passadas diretamente para o nosso cérebro. Não obstante, a visão é também um dos sentidos mais afetados por doenças.

São inúmeras as doenças dos olhos que podem atacar o sistema visual humano, tendo consequências variadas que podem ir do desconforto físico e psicológico, à diminuição da visão e, nos casos mais graves, à sua perda total.

Uma grande parte das doenças dos olhos podem ser tratadas com relativa facilidade, desde que, perante os primeiros sintomas, sejam devidamente diagnosticadas.

Em virtude da importância deste tema, redigimos o presente artigo, onde abordamos as principais doenças dos olhos, nomeadamente os seus sintomas e possíveis tratamentos. Confira este guia completo de A a Z!

Quais as doenças dos olhos mais comuns?

As principais doenças dos olhos (oftalmológicas) são:

  • Astigmatismo;
  • Catarata;
  • Ceratocone;
  • Conjuntivite;
  • Descolamento da retina;
  • Degeneração macular relacionada à idade;
  • Erros refrativos;
  • Estrabismo;
  • Glaucoma;
  • Hipermetropia;
  • Hordéolo;
  • Miopia;
  • Moscas volantes;
  • Síndrome da disfunção lacrimal;
  • Presbiopia;
  • Pterígio;
  • Retinopatia a diabética;
  • Uveíte.

Em seguida, abordamos cada uma destas doenças dos olhos de forma mais pormenorizada. Não obstante, importa referir que o presente artigo não dispensa a consulta de um médico oftalmologista, pretendendo apenas elucidar alguns aspetos das doenças oculares mais comuns.

1. ASTIGMATISMO

O que é o astigmatismo?

O astigmatismo é uma doença dos olhos que corresponde a uma qualidade visual desigual consoante o eixo visual em causa. Isto ocorre porque a córnea deveria ser lisa e redonda, mas nem sempre é assim. Algumas pessoas podem apresentar uma córnea irregular, com distorções e raios de diferentes curvaturas.

Esta deformação faz com que os raios luminosos mudem de direção e cheguem de uma forma distorcida à retina. Por essa razão, a visão de quem padece de astigmatismo fica “embaciada”, porque certas partes da luz ficam focadas e outras não.

Na maioria dos casos, o astigmatismo é uma doença com uma forte componente genética, isto é, podendo ser passada de pai para filho. No entanto, o astigmatismo pode também estar ligado a outras doenças dos olhos, como a miopia e hipermetropia.

Dependendo do grau da curvatura da córnea, o astigmatismo pode avançar rapidamente, devido aos movimentos dos olhos que realizamos no dia a dia.

Quais os sintomas do astigmatismo?

O astigmatismo causa dificuldades de visão tanto ao perto, como ao longe. Quem padece desta doença ocular vê os objetos desfocados, e as linhas e contornos são ainda vistos com péssima definição”.

Qual o tratamento para o astigmatismo?

O tratamento desta doença dos olhos pode passar pelo uso de lentes (óculos ou lentes de contacto) ou através de cirurgia a laser. Escusado será dizer que apenas um médico oftalmologista poderá indicar qual o tratamento correto.

Existem alguns casos de pessoas com uma idade mais avançada que necessitam de lentes multi ou bifocais, de modo a amenizar esta e outras doenças dos olhos.

2. CATARATA

O que é a catarata?

A catarata é das doenças dos olhos mais comuns em Portugal. Este problema ocorre quando o cristalino (a lente natural do olho) fica opaco, o que leva à perda progressiva da visão.

Muito comum entre pessoas idosas, a catarata ocorre na maioria das vezes por conta do desgaste natural associado ao envelhecimento. No entanto, existem alguns fatores, como problemas hereditários, traumas no olho, diabetes e o uso de medicação corticoide que propicia o desenvolvimento desta doença em pessoas mais jovens.

Sendo uma das principais causas da perda de visão, a catarata é uma doença que pode ser revertida com a realização de uma cirurgia nos olhos, conhecida como facoemulsificação.

Quais os tipos de catarata?

A catarata pode ser agrupada em três categorias:

  • Catarata congénita: surge desde o nascimento, e geralmente ocorre se a mãe tem alguma doença durante a gravidez que afete o feto.
  • Catarata senil: causada pelo envelhecimento natural, ocorrendo, normalmente, a partir dos 50 anos de idade.
  • Catarata traumática: aquela que pode ocorrer através de lesões no olho (acidentes, por exemplo) ou pelo uso contínuo/excessivo de corticoides.

Quais os sintomas da catarata?

Entre os sintomas mais comuns da catarata estão a visão turva ou “embaciada”, diminuição da sensibilidade às cores, bem como ao contraste, aumento da sensibilidade à luz (também conhecida como fotofobia) e dificuldades de visão durante a noite.

Qual o tratamento para a catarata?

O tratamento da catarata é realizado através de uma cirurgia, em virtude de não existir medicação ou lentes que possam resolver esta doença dos olhos. De forma simples, na cirurgia à catarata o cristalino é substituído por uma lente intraocular.

3. CERATOCONE

O que é a ceratocone?

Trata-se de uma doença dos olhos congénita, ou seja, que acompanha a pessoa desde o seu nascimento. Manifesta-se, sobretudo, durante a puberdade, sendo raro o seu aparecimento em pessoas acima dos 30 anos de idade.

A ceratocone caracteriza-se por ser uma doença degenerativa da córnea. Em virtude de diversas alterações, esta torna-se mais fina gradualmente, havendo alterações à sua curvatura. Este fenómeno pode levar a pessoa a desenvolver outras patologias estomatológicas, nomeadamente astigmatismo ou miopia.

Quais os sintomas da ceratocone?

Os sintomas mais comuns da ceratocone passam pela perceção de múltiplas imagens fantasmas, fotofobia (sensibilidade à luz), diminuição do sentido da visão, entre outros.

Qual o tratamento para a ceratocone?

O tratamento da ceratocone é feito de acordo com o estágio em que esta doença se encontra. Numa fase inicial, a visão pode ser corrigida com o auxílio de óculos ou lentes de contacto. Numa fase moderada, a visão pode ser corrigida através de lentes específicas ou implantes de anéis que corrigem o interior da córnea. Já na fase mais avançada, poderá ser necessário o transplante da córnea para que o paciente recupere a visão.

4. CONJUNTIVITE

O que é a conjuntivite?

A conjuntivite é uma doença dos olhos causada pela inflamação da membrana conjuntiva, que envolve toda a parte externa do nosso globo ocular.

Existem alguns tipos de conjuntivite, mas os mais populares são:

  • Conjuntivite alérgica: trata-se de um tipo de conjuntivite não contagioso, e acontece com regularidade em pessoas que sofrem de doenças alérgicas respiratórias, como a rinite e a bronquite.
  • Conjuntivite viral: este tipo de conjuntivite é transmissível através do contacto com objetos ou pessoas contaminadas, possuindo um alto grau de transmissão.

Quais os sintomas da conjuntivite?

Os sintomas desta doença dos olhos são semelhantes aos de uma alergia, nomeadamente: comichão, ardor nos olhos, visão embaciada, pálpebras inchadas, olhos lacrimejantes, vermelhidão nos olhos, secreção, sensação incómoda de “areia nos olhos” e sensibilidade à luz (fotofobia).

Qual o tratamento para a conjuntivite?

O tratamento para a conjuntivite alérgica é feito através de medicamentos específicos (antialérgicos). Já a conjuntivite viral é tratada através de colírios, analgésicos e compressas.

5. DESCOLAMENTO DA RETINA

O que é o descolamento da retina?

A retina é a parte do olho responsável por captar a imagem e transmiti-la para o nervo ótico, ou seja, pelo sentido da visão. Em virtude do descolamento da retina, esta é separada do olho. Caso não seja atempadamente tratada, pode conduzir à perda de visão.

Quais os sintomas do descolamento da retina?

Os sintomas do descolamento da retina passam por uma sensação de flashes (fotopsias), escurecimento da visão periférica e pontos flutuantes no campo visual (moscas volantes).

Qual o tratamento para o descolamento da retina?

O tratamento do descolamento da retina depende de vários fatores, nomeadamente do tipo, da localização e da extensão do descolamento – em função da avaliação pelo médico oftalmologista. Não obstante, trata-se através de um procedimento cirúrgico realizado em bloco operatório. Este é, regra geral, realizado sob anestesia geral, sendo necessário um período de internamento e repouso.

6. DEGENERAÇÃO MACULAR RELACIONADA À IDADE

O que é a degeneração macular relacionada à idade?

A degeneração macular relacionada à idade (DMRI), é uma doença da retina que afeta normalmente pessoas acima dos 55 anos de idade. Trata-se de um processo degenerativo da mácula, sendo o envelhecimento apontado como a sua principal causa.

É na mácula que são definidos certos aspetos da visão, como as formas, as cores e a definição de rostos, pelo que esta doença resulta, normalmente, em perda de visão severa.

Quais os principais sintomas da DMRI?

Quando está em fase inicial, a DMRI causa a diminuição do contraste, por isso, o paciente começa a ter a sensação de que a luz está mais baixa e pode ter dificuldades em ler e escrever. Conforme essa doença dos olhos avança, as imagens ficam mais embaciadas e amareladas, e algumas linhas e contornos ficam deformados. Na fase mais grave da doença, uma mancha forma-se na parte central da visão.

Qual o tratamento para a DMRI?

A degeneração macular relacionada à idade não tem cura, pelo que o seu tratamento serve apenas para retardar o avanço desta doença dos olhos. O tratamento pode variar em função de diversos fatores, podendo passar pela injeção de fármacos no olho, terapia fotodinâmica ou cirurgia a laser.

7. ERROS REFRATIVOS

O que são os erros refrativos?

Quando um pouco de luz atravessa partes diferentes do globo ocular e chega até à retina de forma irregular, podemos estar perante uma condição chamada de erros de refração ou erros refrativos. Trata-se de uma das causas mais frequentes da diminuição da acuidade visual.

Esta doença pode ocorrer em virtude do tamanho do globo ocular e de irregularidades da córnea. A miopia, a hipermetropia, o astigmatismo e a presbiopia são exemplos de doenças dos olhos que ocorrem em virtude de erros refrativos.

Quais os sintomas dos erros refrativos?

Alguns dos sintomas causados pelos erros refrativos são a sensação de desconforto na visão, dores de cabeça, dificuldades para focar ou para ler e, em alguns casos, dificuldades para ver ao perto ou ao longe.

Qual o tratamento para os erros refrativos?

O tratamento poderá variar em função da gravidade. Não obstante, poderá passar pelo recurso a óculos, lentes de contacto ou através de uma cirurgia (cirurgia refrativa).

8. ESTRABISMO

O que é o estrabismo?

O estrabismo é uma doença dos olhos que desalinha o eixo da visão, fazendo com que os olhos não fixem o mesmo objeto.

Muitas crianças acabam por padecer desta doença, que vai muito além de uma questão estética, podendo comprometer a visão de forma permanente caso não seja tratada corretamente. Os adultos também podem sofrer com o estrabismo, regra geral, em virtude de outras doenças pré-existentes.

Quais os sintomas do estrabismo?

Entre outros, os principais sintomas do estrabismo são: movimento não sincronizado dos olhos, desvio na visão, perda da perceção de profundidade e diplopia (visão dupla).

Qual o tratamento para o estrabismo?

O tratamento para o estrabismo passa, regra geral, por um procedimento cirúrgico, realizado com anestesia geral. O tempo de recuperação é rápido (dias). Após a cirurgia, poderá ser necessária a utilização de óculos.

9. GLAUCOMA

O que é o glaucoma?

O glaucoma é uma das doenças com maiores taxas de cegueira irreversível no mundo. O glaucoma acontece quando a pressão ocular aumenta e causa lesões no nervo ótico, comprometendo assim a visão.

Quais os sintomas do glaucoma?

A pressão ocular, geralmente, aumenta de forma progressiva. Sendo assim, os sintomas iniciais são difíceis de serem detetados. O que acontece nesse caso é que a pessoa primeiramente perde a visão periférica, ou seja, dos lados, e somente depois perde a visão central. Se não tratado de forma correta, o glaucoma pode levar à cegueira definitiva.

Qual o tratamento para o glaucoma?

A maioria dos glaucomas pode ser tratada através de colírios que controlam a pressão ocular e que ajudam a proteger o nervo ótico. Em muitos casos também pode ser que o médico prescreva um outro medicamento para ajudar no controlo da pressão ocular.

10. HIPERMETROPIA

O que é a hipermetropia?

A hipermetropia é uma doença dos olhos que passa por desfocar as imagens que estão próximas. Pessoas que têm hipermetropia passam por dificuldades no que toca a visualizar o que está muito perto, ao contrário do que acontece com a miopia, por exemplo.

A hipermetropia ocorre quando a luz não passa corretamente pela córnea e não é focada de forma correta na retina. Geralmente, este fenómeno ocorre em pessoas com olhos pequenos, ou que possuem uma córnea um pouco mais plana.

Quais os sintomas da hipermetropia?

Em geral, pessoas com esta doença dos olhos não se queixam de muitos sintomas, mas apresentam dificuldade em ver, cansaço na visão e dores de cabeça.

Qual o tratamento para a hipermetropia?

Pode ser que, em crianças, não haja a necessidade de correção ou tratamento, pois conforme o globo ocular cresce, este problema pode ser resolvido naturalmente.

No entanto, no caso de persistência da doença, o tratamento é feito através do uso de óculos ou lentes de contacto, e em casos mais avançados da hipermetropia, pode haver necessidade de uma cirurgia a laser para a correção da visão.

11. HORDÉOLO

O que é o hordéolo?

Popularmente conhecido como terçolho, o hordéolo é uma doença dos olhos que pode atacar tanto a parte externa, como a parte interna do olho.

Quando surge na parte externa do olho, o hordéolo manifesta-se como uma pequena inflamação na pálpebra, semelhante a uma espinha, e é gerado por cílios inflamados ou infecionados. Já na parte interna, esta doença ocorre por causa das glândulas sebáceas dos olhos.

Esta é uma doença dos olhos que não apresenta gravidade, mas é muito dolorosa. Quando manifestada externamente, pode durar até 10 dias, e se interna, pode durar semanas.

Quais os sintomas do hordéolo?

Os sintomas do hordéolo são bem aparentes e fáceis de sentir, pois causam muito desconforto. Alguns destes sintomas são a dor, inchaço no olho, vermelhidão na área, sensibilidade à luz, coceira nos olhos, olhos lacrimejados, desconforto ao piscar ou fechar os olhos.

Qual o tratamento para o hordéolo?

Por ser uma doença dos olhos sem gravidade associada, os dois tipos de hordéolo curam-se naturalmente. Contudo, se o desconforto for muito grande, colocar compressas de água morna sobre o olho pode ajudar a amenizar a dor.

12. MIOPIA

O que é a miopia?

A miopia é uma das doenças dos olhos que pode ser considerada como um erro refrativo. A esta doença está associada a dificuldade em ver ao longe.

Para quem tem miopia, os olhos focam incorretamente a imagem na frente da retina, fazendo com que objetos e imagens distantes fiquem embaciadas ou turvas.

Quais os sintomas da miopia?

Os sintomas mais comuns da miopia são o embaciamento da visão ou visão turva, dor de cabeça, vista cansada ao fim do dia e longos piscar de olhos.

Desses sintomas, os mais frequentes são a dificuldade em ver ao longe e as dores de cabeça, que ocorrem devido à força que a pessoa míope faz para conseguir ver alguns objetos.

Qual o tratamento para a miopia?

Existem três tipos de correção para a miopia: os óculos de correção, as lentes de contacto e a cirurgia a laser. Mas somente um médico com uma boa avaliação do paciente pode determinar qual o tipo de tratamento mais adequado para cada caso.

13. MOSCAS VOLANTES

O que são moscas volantes?

Chamamos de moscas volantes à doença dos olhos que é caracterizada por pontos ou manchas “flutuantes” que aparecem na visão. Este fenómeno pode ocorrer, pois o gel que preenche a parte posterior do olho pode condensar-se, causando um bloqueio da luz que passa pela retina, o que provoca a visualização de pontos em diversos formatos.

Quais os sintomas das moscas volantes?

O aparecimento de manchas ou pontos que parecem mosquitos é o principal sintoma desta doença dos olhos. Quando uma pessoa que sofre com as moscas volantes olha para uma parede ou superfície plana consegue ver essas manchas, de acordo com a iluminação e a posição em que se encontra no ambiente.

Qual o tratamento para as moscas volantes?

Existe um processo para tratar esta doença dos olhos, conhecido como vitrectomia, onde parte do gel da zona posterior do olho é removida para que o problema seja resolvido.

14. SÍNDROME DA DISFUNÇÃO LACRIMAL

O que é a síndrome da disfunção lacrimal?

Esta doença dos olhos ocorre quando a lubrificação da superfície ocular é inadequada. Tal acontece porque as pessoas com olhos secos não produzem uma quantidade suficiente de lágrimas.

Quais os sintomas da síndrome da disfunção lacrimal?

Os sintomas de olho seco ou da síndrome da disfunção lacrimal, como também é chamada, são a ardência nos olhos, visão embaciada, sensação de queimadura nos olhos, sensação de secura, vermelhidão nos olhos e sensação de “areia” na visão.

Qual o tratamento para a síndrome da disfunção lacrimal?

Conforme o estado da doença, o tratamento pode mudar, mas geralmente o uso de colírios lubrificantes resolve este problema. Em certos casos, o médico pode ainda prescrever outras medicações em forma de colírio, e até mesmo cirurgias para a abertura do canal lacrimal.

15. PRESBIOPIA

O que é a presbiopia?

A presbiopia, popularmente conhecida como vista cansada, é uma doença dos olhos que ocorre em pessoas acima dos 40 anos. Esta doença surge quando o cristalino (parte responsável pela focagem ao perto) começa a perder o regulamento do foco, dificultando a focagem em objetos próximos.

Quais os sintomas da presbiopia?

Os sintomas da presbiopia afetam mais algumas pessoas do que outras, mas consistem essencialmente na dificuldade em ler algumas letras pequenas, dores de cabeça e cansaço ao ler.

Qual o tratamento para a presbiopia?

Entre os tratamentos para esta doença dos olhos estão o uso de óculos de aumento, lentes multi ou bifocais e também cirurgia a laser.

16. PTERÍGIO

O que é o pterígio?

O pterígio é uma doença dos olhos que afeta principalmente a córnea. Surge quando a membrana fibrovascular é criada sobre a córnea e invade a superfície do olho. Em alguns casos, até a pupila pode ser atingida.

Quais os sintomas do pterígio?

Por ser uma doença que fica na superfície dos olhos, os sintomas do pterígio são a sensação de “areia” nos olhos, ardência na visão, dor e coceira, vermelhidão nos olhos e o crescimento de um tecido sobre a córnea.

Qual o tratamento do pterígio?

Se o pterígio não parar de crescer, e acabar por atingir a parte central do olho, é necessário realizar uma intervenção cirúrgica para a remoção do tecido. Contudo, se a pessoa que sofre de pterígio ficar exposta ao sol, sem proteção e durante muito tempo, a doença pode voltar.

17. RETINOPATIA DIABÉTICA

O que é a retinopatia diabética?

A retinopatia é uma doença dos olhos que ocorre quando a diabetes se manifesta na retina, através dos vasos sanguíneos. A retinopatia é uma das maiores causas de cegueira em todo o mundo.

Quais os sintomas da retinopatia diabética?

A visão baixa é o principal sintoma da retinopatia, pois os vasos sanguíneos são alterados, o que promove um sangramento interno no olho. No entanto, muitas pessoas que sofrem desta doença dos olhos só se conseguem aperceber do surgimento da mesma quando esta atinge a parte central da visão, atrapalhando com mais frequência o dia a dia do doente.

Qual o tratamento para a retinopatia diabética?

A fotocoagulação a laser é o método utilizado para estacionar a doença e impedir que esta atinja toda a visão. Através desse procedimento, dá-se a remoção dos vasos sanguíneos da retina.

18. UVEÍTE

O que é a uveíte?

Chamamos de úvea ao conjunto formado pela íris, o corpo ciliar e o coroide. Quando uma inflamação da úvea acontece, surge a doença dos olhos a que chamamos de uveíte.

Geralmente, a uveíte é provocada por outras doenças infecciosas, como sífilis, toxoplasmose, ou até por doenças autoimunes, como a artrite reumatoide. Casos mais graves de uveíte podem ocasionar cegueira e tornarem-se irreversíveis.

Quais os sintomas da uveíte?

Os principais sintomas da uveíte são o aparecimento de pontos pretos na visão, olhos vermelhos, visão embaciada, dor nos olhos, sensibilidade à luz, e sensação de pressão nos olhos.

Qual o tratamento para a uveíte?

Esta é uma doença dos olhos que precisa de tratamento logo no início, pois se tratada em estado mais avançado, pode deixar sequelas irreversíveis nos olhos. Normalmente, o tratamento é feito através do uso de colírios anti-inflamatórios e, nos casos mais graves, cirurgias no globo ocular.

Esperamos que este artigo tenha informado o leitor da melhor forma possível quanto às doenças dos olhos. No entanto, vale a pena lembrar que, se apresentar qualquer sintoma relacionado com a qualidade da sua visão, procure um médico. Apenas um oftalmologista é capaz de diagnosticar e realizar os procedimentos certos para tratar a sua visão. Cuide-se!

A redação do trabalhador.pt