Ética e deontologia: quais as principais diferenças?

Ramo da filosofia que estuda o conjunto de padrões moral que influenciam as nossas ações e os seus fundamentos, a ética – palavra que vem do grego ethos – refere-se ao comportamento de um indivíduo de acordo com o seu caráter.

De forma geral, é possível afirmar que a ética é a ciência da moralidade, cujo intuito é definir o que é bom e o que é mau a fim de promover uma sociedade ideal e justa para todos.

Ainda no espectro da filosofia, temos também um outro conceito – por vezes confundindo com a ética – conhecido como deontologia. Também originada do grego, a palavra deontologia significa dever, sendo, portanto, um ramo da ética que estabelece as bases dos deveres de uma pessoa com base na moralidade.

Aplicada ao universo profissional, a deontologia preconiza um conjunto de regras e obrigações que devem reger os membros de uma determinada profissão e ofício. Por isso diz-se que a deontologia é uma ciência mais específica, pois ao contrário da ética profissional, que define um código de conduta que deve ser seguido por todos os profissionais das mais diversas áreas, trata das especificidades de um segmento profissional, como o direito, a medicina ou o jornalismo, por exemplo.

Ficou interessado neste assunto e quer saber mais sobre ética e deontologia, bem como as principais diferenças entre esses dois conceitos? Então continue a leitura deste artigo, no qual abordaremos minuciosamente esta questão que ainda gera muitas dúvidas.

O que é a ética?

Como referido, a palavra ética vem do grego, ethos, cujo significado primordial é: “o lugar onde se vive”. Com o tempo, ganhou outras conotações, até chegar à acepção que nos faz associá-la à ideia de caráter, ou ainda, jeito de ser.

Comummente, é confundida com a moral, e para evitar dúvidas, podemos dizer que quando falamos em moralidade, estamos a referir-nos a todas as normas impostas pela sociedade, isto é, “de fora” do indivíduo. Já a ética pode ser definida como o conjunto de normas que vêm “de dentro”, o que significa dizer que ditarão as nossas ações e comportamentos, visto regularem a nossa personalidade e caráter.

Podemos dizer que a ética é uma obrigação que nos impele ao aperfeiçoamento pessoal, moldando as nossas ações a fim de que nos tornemos pessoas melhores – sendo por isso considerada uma ciência que trata das regras relativas ao comportamento humano.

Investigada ao longo da história por pensadores como Aristóteles, Descartes e, mais recentemente, pelo psicanalista Sigmund Freud, a ética tem como objetivo investigar o comportamento humano com base em análises de comportamentos oriundos da infância.

Agora que sabemos o que é ética, convém ilustrar alguns exemplos de regras éticas no ambiente profissional, para melhor entendimento:

  • Educação e respeito entre funcionários;
  • Cooperação e atitudes que visam ajudar colegas de trabalho;
  • Procura pelo crescimento profissional sem prejudicar outros colegas de trabalho;
  • Respeito às regras e normas da empresa;
  • Realização, em ambiente de trabalho, apenas de tarefas relacionadas com o trabalho;
  • Respeito pela hierarquia dentro da empresa;
  • Responsabilidade profissional, com atitudes condizentes o trabalho;
  • Comprometimento com a empresa e com o próprio desenvolvimento contínuo;
  • Integridade, a fim de que seja mantida a transparência nas atividades exercidas, ser honesto com o superior direito e com os demais profissionais;
  • Sigilo, para manter confidenciais os dados da empresa, dos colegas, dos superiores ou quaisquer outras informações relevantes.
  • Ações e comportamentos que visam criar um clima agradável e positivo dentro da empresa, como por exemplo, manter o bom humor e evitar “fofocas”.

O que é a deontologia?

Situado dentro da ética normativa, a deontologia, frequentemente associada ao filósofo Immanuel Kant, é conhecida como a “teoria do dever” (do grego deontos = dever e obrigação, e logia = estudo). Está associada ao código de ética, que nada mais é do que regras e valores que devem ser colocados em prática numa atividade profissional, sendo, contudo, mais específica.

A maioria das profissões tem o seu próprio código deontológico, em que obrigações e respeito no trabalho são baseados nele. Embora estes conceitos também possam ser condicionados pela consciência humana individual, é importante que o código deontológico seja visto como um modelo a ser seguido. Por exemplo:

  • Na medicina, o código deontológico diz respeito ao sigilo profissional ou à relação do médico com os seus pacientes;
  • No universo do jornalismo, uma das regras que devem ser cumpridas é a verificação de informações, bem como proteção de fontes, a fim de se combater injustiças e a desinformação;
  • O sigilo profissional de advogados, bem como a proibição de divulgação de informações sobre os seus clientes;
  • A proibição de que um agente da polícia se aproveite da sua posição para tentar obter vantagens.

Quando estas diretrizes são seguidas, pode-se afirmar que o código deontológico foi preservado, sendo este fortemente influenciado pela ética, apesar de se tratar de conceitos diversos – todavia, não tão distantes.

A ética deontológica sustenta que pelo menos alguns atos são moralmente obrigatórios, independentemente das suas consequências para o bem-estar humano. Descritivas de tal ética são expressões como “o dever pelo dever”, “a virtude é a sua própria recompensa” e “que a justiça seja feita ainda que os céus caiam”.

Diferenças entre ética e deontologia

Como referido, a ética “vem de dentro”, visto que cada pessoa impõe uma série de conceitos ou normas a si mesma. É colocada em prática em situações em que o ser humano precisa decidir entre o que é certo e o que é errado e o que realmente o faz feliz.

Já a deontologia, mais especificamente a ética deontológica, é um conjunto de regras impostas para controlar ação dos membros de um grupo profissional e, de outro lado, para orientar a sua conduta, colaborando assim para a formação de um grupo que identifica e é identificado por um modo de agir. Portanto, a sustentação de uma profissão depende do conjunto dos seus membros e da conduta de cada um.

Seja na vida quotidiana, pessoal ou profissional, saberemos certamente como e quando colocar em prática a ética e deontologia. Ambas estão voltadas para o bem, ao bom cumprimento dos deveres, à moralidade e à lei, ainda que a ética possa ser mais individual e subjetiva.

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)