Ervas aromáticas: benefícios, como utilizar e como cultivar

O que poderá encontrar neste artigo:

Denominam-se por ervas aromáticas as plantas que libertam aroma, seja pelas folhas, caules ou raízes. A sua utilização resulta numa grande redução do consumo de sal, numa elevação no tempero das nossas refeições e, por consequência, numa melhoria da nossa saúde.

São muitas as ervas aromáticas que podemos introduzir na nossa alimentação com inúmeros benefícios para a nossa saúde. Elas podem ser consumidas na sua forma natural, bem como secas ou em pó.

Quais as ervas aromáticas mais comuns?

De seguida apresentamos alguns exemplos de ervas aromáticas, como pode consumi-las e que vantagens têm para melhorar o nosso estilo de vida.

Alecrim

Tem folhas pontiagudas de coloração verde escura e uma aparência semelhante ao pinheiro. Para além de ficar lindamente no nosso jardim, tem propriedades digestivas, diuréticas e antidepressivas, podendo auxiliar no tratamento da dor de cabeça, depressão e ansiedade. Pode ser consumido sob a forma de chá para ajudar na digestão, ou no tempero de carnes e batatas (batata doce também). Para o alívio de dores causadas por reumatismo, pode preparar um banho com alecrim.

Esta erva aromática pode ser cultivada todo o ano em casa. Precisa somente de bastante luz direta e um local devidamente arejado.

Cebolinho

O cebolinho, tal como o nome indica, é parente da cebola. Esta planta deve ser consumida na sua forma crua, caso contrário perde o seu sabor. É perfeito para temperar saladas, omeletes, queijo creme e salmão fumado. Combina muito bem com quase todas as ervas aromáticas e eleva qualquer prato.

O consumo de cebolinho tem inúmeros benefícios para a saúde:

  • Ajuda na digestão e melhora a circulação sanguínea, uma vez que é rica em Vitamina A, que funciona como antioxidante.
  • Ajuda na saúde dos ossos e dentes, graças ao cálcio e fósforo.
  • Melhora a saúde da visão.
  • Fortalece o cabelo.

Esta planta é sazonal, morre no inverno e volta a rebentar na primavera e é um excelente repelente de insetos. Pode cultivá-la na sua cozinha com muita facilidade. As suas folhas devem ser cortadas com uma tesoura, devendo evitar arrancá-las.

Coentro

Na cozinha algarvia bem como na alentejana, o coentro é rei. Seja em ensopados, carne de porco, pratos de peixe e amêijoas, esta erva não pode faltar para um toque extra de sabor, cheiro e cor.

Para além das óbvias questões de tempero, os coentros trazem benefícios para a saúde. Ajudam a reduzir o chamado colesterol mau e a aumentar o colesterol bom, já que contém gorduras insaturadas e vitamina C. O facto de ser rico em ferro, ajuda a prevenir a anemia e o alto teor de antioxidantes tem poderes anticancerígenos.

Pode ter coentros durante todo o ano, desde que mantenha a planta num local com muita exposição solar e com o solo húmido. Não deve, no entanto regar em demasia.

Hortelã

A hortelã é a erva do verão, do mojito, gelado e limonada. Fica deliciosa em sumos e chás e o seu sabor é refrescante e ótimo para manter um bom hálito.

Os chás de hortelã podem ser um excelente remédio caseiro para um melhor funcionamento digestivo, dadas as suas propriedades anti-espasmódicas. Melhora na dor causada por cólicas intestinais e distúrbios digestivos, aliviando também náuseas e vómitos. Ajuda no combate de gripes e contipações, graças à sua ação descongestionante e expectorante.

Esta é só mais uma das muitas plantas que pode facilmente produzir, tanto no seu jardim como num simples vaso na cozinha.

Manjericão

O manjericão é da família do manjerico, o fiel amigo das noites de santos populares, e o seu cheiro automaticamente nos transporta para belas noites de verão. Também conhecida como alfádega, esta erva é de imediato associada à cozinha italiana, sendo um ingrediente fundamental nos pratos de massa, pizzas, saladas e do famoso pesto. Devem ser utilizados frescos para manter o seu sabor e aroma intensos.

Na saúde, atua como desinfetante digestivo, é diurético e anti-inflamatório. Ajuda na regulação do ciclo menstrual e a diminuir dores causadas pela menstruação. Para além disso alivia dores reumáticas e articulares, assumindo como uma das melhores ervas aromáticas.

Esta planta, para além de embelezar um jardim, também ajuda no crescimento de produtos hortículas. Plantado alternadamente com tomateiros, proteje-os dos insetos e doenças. Funciona como repelente de moscas e mosquitos, pelo que se aconselha o seu uso como centro de mesa durante as refeições exteriores.

Orégãos

Outra planta que combina lindamente com cozinha italiana e também com manjericão. Está sempre presente em pratos de pizza, massas e saladas. Combina também com peixes, carnes e ovos. São poucos os pratos que não melhoram com orégãos.

Esta planta é considerado um potente antibacteriano natural, uma vez na sua composição contém a substância carvacrol, capaz de destruir bactérias resistentes aos antibióticos.

Para além disso, esta erva aromática, mostra-se eficaz no combate à morte de células cancerígenas.

Salsa

Ideal para um tempero final, embeleza e refresca qualquer prato de peixe, massas, saladas e sopas. Para além de dar sabor à nossa alimentação, a salsa previne a formação de pedras nos rins, pela sua propriedade diurética. Esta característica ajuda também a evitar infeções urinárias e a controlar a tensão.

Pode cultivar esta erva aromática durante todo o ano, uma vez que é uma planta resistente. No entanto, pode também congelar esta planta sem perder qualidade. Deve no entanto, ser bem lavada e seca antes da sua congelação.

Tomilho

Esta planta tem um sabor mais discreto pelo que pode ser utilizada na confeção de quase todos os pratos. É, no entanto, forte aliado das carnes grelhadas e marinadas, pratos de queijo e tomate e feijão.

O tomilho ajuda a aliviar a tosse e bronquites uma vez que é um forte expectorante. Para este efeito, deve ser consumido em chá.

Todas estas plantas possuem benefícios para a saúde mas, o maior benefício talvez seja o permitir a redução do uso do sal na preparação de alimentos. Essa é certamente a mais valia de consumir ervas aromáticas. Por isso, mergulhe nesta nova forma de confecionar refeições, mais aromática e saudável. Desfrute também da possibilidade de ter o seu jardim (ainda que viva num apartamento e não tenha um jardim propriamente dito) e de ver estas bonitas plantas germinar e crescer.

Mariana Ledo

Uma eterna namorada da literatura, vibra com as pequenas notas que encontra nas páginas dos livros da biblioteca. Decidiu viver das palavras e por isso formou-se em Estudos Portugueses e Lusófonos, pela Universidade do Minho.