Compras por impulso: o que são e como as evitar?

Responda às seguintes perguntas: costuma fazer compras por impulso? Extrapolar o limite do cartão de crédito, sem pensar no impacto negativo que isso terá em seu orçamento, é uma atitude recorrente na sua vida? Se as suas respostas foram positivas para as duas questões, então poderá ser uma pessoa que sofre de endividamento, problema que prejudica seriamente a sua saúde financeira.

Se está cansado de tentar equilibrar as contas, mas não resiste ao ímpeto consumista, então está na hora de aprender a controlar a vontade imperiosa – e inconsequente – de comprar tudo que vê pela frente sem refletir sobre as consequências que isso gera nas suas finanças. Neste artigo vai descobrir o que são, de facto, as compras por impulso e vai aprender a identificar os principais sinais deste comportamento que tanto afeta o seu bolso.

O que são compras por impulso?

Qualquer compra que faz sem o mínimo de planeamento ou organização financeira pode ser caracterizada como uma compra por impulso. Na generalidade das vezes, essas compras não são indispensáveis, ou seja, poderiam ser adiadas ou até mesmo completamente evitadas. Neste tipo de compra, o consumidor toma uma decisão intempestiva, sem refletir sobre as consequências financeiras que este ato poderá provocar. Via de regra, esse comportamento é influenciado por sentimentos e emoções, que atuam como motivadores para a compra.

Nós explicamos: alguma vez já se sentiu frustrado, aborrecido com alguma situação e decidiu que ir às compras poderia melhorar o seu estado de espírito? Já foi a uma loja para comprar um determinado produto, mas saiu de lá com outros tantos que nem sequer havia cogitado comprar? Ou ainda, já comprou alguma coisa para se recompensar depois de um dia intenso de trabalho? Se se identificou com as situações referidas, então provavelmente é uma pessoa que tem o hábito de fazer compras por impulso.

Isso acontece porque, de acordo com especialistas no comportamento do consumidor, sentimos prazer em adquirir algo novo, pois esta é uma atitude que nos dá a sensação de poder. Naquele exato momento em que saca a carteira, considera que merece e que é capaz de tomar decisões impulsivas – mas que, como já sabemos, lá na frente podem gerar endividamento e outros problemas graves para as suas finanças.

Identificar compras por impulso no seu dia a dia

Agora que já sabe o que são compras por impulso e quais são os motivos que nos levam a tomar decisões más para o orçamento familiar, precisa de aprender a identificar quais são os principais sinais de que é um consumidor impulsivo. Confira as dicas:

1. Analise as motivações para a compra

Pare e pense: da última vez que fez compras por impulso, por acaso estava a sentir-se triste ou frustrado? Ou quem sabe o contrário, estava-se a sentir merecedor daquele objeto, porque fez um bom trabalho e precisava de ser recompensado? Se algum desses sentimentos estavam presentes no ato da compra, tenha sido ela realizada numa loja física ou online, então provavelmente foi motivada por emoções positivas ou negativas, que atuam como uma espécie de gatilho para compras por impulso. Agora que entende esse comportamento, está na hora de seguir rumo ao próximo passo, que é analisar o quanto está a gastar.

2. Confira o extrato mensal da sua conta bancária

Ficar atento ao extrato das compras é uma ótima maneira de entender tudo aquilo que foi comprado e que poderia ter sido evitado. Via de regra, aquele sentimento de poder que lhe toma de assalto na hora da compra costuma desfazer-se quando percebe, ao analisar o extrato mensal, que por conta daquele momento de impulsividade, vai ficar com o orçamento apertado ou até mesmo sem dinheiro para o resto do mês.

Na pior das hipóteses e caso tenha recorrido ao cartão de crédito, poderá solicitar o pagamento parcelar e correr o risco de contrair uma dívida (da qual dificilmente conseguirá se libertar tão cedo…). Ou seja, a alegria da compra por impulso vai embora no momento em que descobre que o dinheiro não será suficiente para pagar tantas extravagâncias financeiras.

Passado o susto, é importante que saiba que, ao fazer esse diagnóstico de como usa o cartão de débito ou crédito, estará a dar um passo importante na direção da sua saúde financeira.

3. Como se comporta perante uma promoção?

Adquirir produtos ou serviços desnecessários só porque estavam em promoção é um forte indício de impulsividade. A falsa sensação de estar a poupar dinheiro é algo inato ao ser humano, que via de regra não gosta de perder “boas oportunidades”. No entanto, antes de “mexer no bolso”, mesmo diante de uma oferta que parece ser irrecusável, faça a si mesmo a seguinte pergunta: “eu realmente preciso de comprar este produto?”. Assim, ao agir de forma consciente, as compras por impulso poderão ser evitadas, bem como revezes financeiros.

3. Como se sentiu após efetuar a compra?

As emoções, como referido, são determinantes para as compras por impulso. Comprar algo novo transmite-nos o prazeroso sentimento de posse e até mesmo o conforto necessário para aqueles dias em que não estamos bem; todavia, essa alegria costuma ser passageira, já que muitas pessoas impulsivas tendem a sentirem-se culpadas no meio da felicidade pela compra. Caso se tenha sentido assim, mas não desistiu de comprar aquele produto, então é porque permitiu que a impulsividade falasse mais alto. Mas ainda é possível contornar essa situação e procurar um novo padrão de comportamento, mais saudável para si e para as suas finanças. Veja a seguir.

Como evitar as compras por impulso?

O melhor caminho para evitar compras por impulso é fazer um planeamento financeiro. Para isso, é fundamental que comece a monitorar o seu orçamento mensal e anotar todos os gastos numa folha de cálculo, por exemplo. Agindo assim, terá uma visão holística sobre a forma como gasta o seu dinheiro, o que permitirá que perceba com mais facilidade todas as compras que poderiam ter sido evitadas.

Aproveite e defina um valor específico que poderá ser destinado às compras mensais, sem que isso afete o seu orçamento. Ademais, avalie o impacto da compra, principalmente se vai optar pelo pagamento a crédito. Lembre-se que ter autocontrolo é essencial para ter êxito neste desafio. Com um planeamento financeiro bem organizado, terá certamente mais consciência na hora de fazer compras, e poderá libertar-se, de uma vez por todas, do fantasma do endividamento.

Gostou deste artigo? Então não deixe de conferir outros conteúdos acerca deste importante tema. Confira infra as nossas indicações:

Boas leituras!

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)