Fobias: o que são, principais tipos, sintomas e tratamento

Já sentiu medo? Certamente que sim, afinal de contas, todos nós nos deparamos com diversas situações no nosso dia a dia que podem despertar este sentimento.

Pode ser o medo de ser assaltado, o medo do escuro, o medo de perder o emprego ou até o medo de perder as pessoas que amamos. Muitas vezes, o medo é essencial para nos proteger de situações potencialmente perigosas, deixando vir à tona um necessário instinto de proteção.

Contudo, quando esse medo se manifesta de forma exagerada, incapacitando-nos e privando-nos de desfrutar a vida, os contornos são bastante diferentes. Nestas situações poderemos estar a falar de fobias e não necessariamente de um medo.

Neste artigo abordamos as fobias, procurando dar resposta a algumas das questões mais frequentes, nomeadamente do que se tratam as fobias, quais as suas causas e quais os tipos mais comuns. Confira!

O que são fobias?

Como referimos anteriormente, as fobias são medos exagerados, daqueles que atrapalham a nossa rotina e são simplesmente incontroláveis. Por mais que nos digam que não é preciso ter medo, não conseguimos usar a razão, e somos tomados por um verdadeiro pavor paralisante diante daquilo que nos causa uma grande aversão.

A ciência estuda o tema há muito tempo, e compreende que as fobias devem ser enquadradas como distúrbios psicológicos. Muitas vezes, algumas fobias podem ser algo completamente incompreensível para a generalidade das pessoas, todavia, as pessoas que sofrem desta condição sentem repulsa de algo específico ou de uma situação concreta.

Diversos estudos referem que as fobias podem ser fruto de traumas do passado, não obstante, há casos em que não parece existir qualquer razão que as possam explicar. Sentir fobia é algo relativamente comum, estimando-se que 20% da população mundial sofra de fobias variadas.

Quais os principais sintomas das fobias?

Além do distúrbio emocional que causam, as fobias causam outros sintomas físicos podem ser notados durante as crises, como por exemplo:

Quando as fobias se manifestam de maneira severa, podem surgir outras condições, como a dependência química, o isolamento social, transtornos de ansiedade e depressão, entre outros.

Para que a situação não evolua para doenças mais graves, é aconselhável que se identifique o distúrbio, os seus gatilhos, as suas motivações e que se dê início ao tratamento médico adequado para minimizar os impactos das fobias.

Quais os tipos de fobias mais comuns?

É impossível classificar todos os tipos de fobias, não obstante, selecionamos algumas das que consideramos mais comuns:

1. Hematofobia

Todos nós sentimos desconforto ao ver sangue, mas existem pessoas que sentem pavor. A hematofobia é o medo exagerado, irracional de sangue, que provoca um profundo sofrimento nas pessoas acometidas por esta fobia. Se para alguns o ato de colher sangue para a realização de exames de rotina é algo normal, para outros, isto pode ser um verdadeiro martírio, desencadeando as reações e sintomas descritos anteriormente. Trata-se de umas das fobias mais vezes referenciada.

2. Tanatofobia

Todos nós temos medo de morrer, por isso, muitas vezes este medo é o que nos protege de situações perigosas. É precisamente nesses momentos que fala mais alto o bom senso e a nossa integridade física é preservada. Contudo, quem sofre desta fobia sente mais do que medo, sofrendo profundamente com a possibilidade de morrer ou até mesmo de ter que frequentar algum funeral, visitar cemitérios e tudo aquilo que esteja relacionado com a morte.

3. Claustrofobia

Ficar preso em pequenos espaços é o verdadeiro pavor dos claustrofóbicos. De todas as fobias, talvez seja esta a mais comum. Para os claustrofóbicos, as escadas são sempre a única opção, uma vez que se recusam entrar em elevadores. Se expostos a circunstâncias em que se sintam enclausurados, os claustrofóbicos podem apresentar aumento dos batimentos cardíacos, transpirar excessivamente, crises de pânico e outros sintomas relacionados.

4. Aracnofobia

Não importa se é pequena ou grande, as aranhas despertam nos aracnofóbicos um temor inexplicável. Basta que o aracnídeo se aproxime, ou esteja no campo visual do fóbico, para que ele desencadeie uma série de sintomas desagradáveis. Trata-se de uma das fobias mais frequentes.

5. Zoofobia

Sabe aquele cão fofinho, aquele gato bonito ou aquele coelho que acha simplesmente adorável? Para um zoofóbico, estes animais graciosos podem ser criaturas monstruosas. Um enorme sentimento de desconforto apodera-se de quem sofre desta fobia, desta maneira, estas pessoas devem ser poupadas à presença dos “encantadores” bichinhos. Poderia certamente constar de uma lista de fobias estranhas, não obstante é bastante comum

6. Nictofobia

Sentir medo do escuro é uma sensação que todos nós já experimentamos em maior ou menor grau. Sobretudo em crianças, não suportamos quando a porta do quarto se fecha e somos deixados sozinhos na escuridão. Porém, com o tempo, este medo desaparece ou, pelo menos, fica suportável. Mas não para o nictofóbico. Esta fobia quase sempre está relacionada a algum evento traumático durante a infância, e provoca uma extrema sensação de insegurança e desamparo.

7. Glossofobia

Há pessoas que ficam extremamente à vontade em falar em público. Inclusive, sentem prazer em ser o centro das atenções. Já outras, podem se sentir-se fragilizadas e, apenas pensando na situação, descontrolam-se e ficam paralisadas com o medo. A glossofobia é este medo incontrolável de se expressar para uma grande plateia, seja em apresentações, seminários, palestras ou outros eventos, constando da lista de fobias mais comuns.

8. Aerofobia

E se lhe dissermos que viajar de avião consta também da nossa lista de fobias? É verdade, para a maioria de nós, trata-se de uma situação relativamente comum, que pode até mesmo despertar um sentimento de prazer, contudo, isto não acontece para aqueles que sentem na pele os efeitos da aerofobia, que nada mais é do que o pavor em viajar de avião. Geralmente, quando submetidas a esta situação de stress, estas pessoas imaginam cenários catastróficos, sofrendo durante todo o trajeto com o temor de perderem a vida. Por este motivo, ficam paralisadas, imóveis ou de olhos fechados.

9. Acrofobia

Miradouros e prédios altos são lugares onde um acrofóbico jamais vai pisar! Nem é preciso convidá-lo. Até mesmo o desafio de descer uma escada pode ser algo impensável! Viagens de avião também podem provocar bastante desconforto, mas ficam suportáveis desde que as janelas permaneçam fechadas, afinal de contas, a visão do alto é algo extremamente desagradável para os acrofóbicos!

10. Agorafobia

Não por acaso a agorafobia está entre as dez fobias mais comuns. Muitas pessoas padecem desta condição, quando permanecer em lugares lotados, sejam eles grandes ou pequenos, é motivo para um desconforto insuportável! Nesta situação, o medo pode estar relacionado com a possiblidade de ser submetido a alguma humilhação ou evento vexatório, e sintomas como transtorno de pânico, taquicardia e transpiração excessiva podem-se manifestar rapidamente.

É muito importante frisar que todas as fobias referidas acima precisam ser devidamente tratadas, pois submetem os fóbicos a um sofrimento por vezes insuportável. Não subestime os seus medos exacerbados: se prejudicam a sua rotina, comprometem os seus relacionamentos e a sua qualidade de vida, devem ser tratados. Cuide-se bem e seja mais feliz!

Luana Castro Alves

Licenciada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)