Surdez súbita: o que é, causas, sintomas e tratamento

Já imaginou acordar e perceber que não consegue ouvir nada? Nenhum ruído, nenhuma buzina, nem o canto dos pássaros ou a voz de um filho. O mundo ficou, subitamente silencioso, como se estivesse preso a um filme de terror.

Esta situação é realmente assustadora, e pode acontecer de forma rápida, sem a manifestação de sinais que possam anunciar a sua chegada. Chamamos a esta condição de surdez súbita, um problema neurossensorial que afeta o ouvido interno causando desconforto e transtornos.

Neste artigo procuramos dar resposta às perguntas mais frequentes sobre a surdez súbita, nomeadamente quais as suas causas, sintomas e possíveis tratamentos. Boa leitura!

O que é a surdez súbita?

Como já referido, a surdez súbita chega sem aviso prévio, interrompendo abruptamente a audição ou piorando uma alteração auditiva preexistente. Esta condição costuma afetar pessoas acima dos 40 anos de idade, não distinguindo género. É mais comum afetar apenas um dos ouvidos, não obstante poderá também afetar os dois.

Regra geral, esta condição desaparece num período de 15 dias, todavia, os pacientes que apresentam perda de audição acompanhada de vertigens têm menores probabilidades de melhoria. Em alguns casos, mesmo depois de recuperada a audição, muitos podem sofrer de sequelas auditivas, que felizmente serão tratadas com terapias de reabilitação. É importante salientar que, quanto mais jovem, maiores as probabilidades de uma recuperação completa.

Uma perda auditiva repentina é considerada surdez súbita quando supera 30 dB (decibéis) em três frequências contínuas num período de três dias. Um leigo não poderá fazer este tipo de avaliação técnica, sendo, portanto, necessário o aconselhamento de um especialista, nomeadamente, um médico otorrinolaringologista.

Quais as causas da surdez súbita?

Podemos afirmar que a surdez súbita é um “sintoma à procura de um diagnóstico”. Isto porque, regra geral, não é fácil identificar o que estará na sua origem. Existem várias possibilidades que levam ao aparecimento desta disfunção que pode afetar uma a cada 5 mil ou 10 mil pessoas; contudo, as possíveis explicações para o aparecimento da surdez súbita prendem-se com:

  • Patologias;
  • Traumatismos cranianos;
  • Medicamentos;
  • Infeções;
  • Alterações de pressão atmosférica;
  • Exposição a ruídos muito altos;
  • Atividades físicas intensas.

Em seguida abordamos cada uma destas causas em maior pormenor.

1. Patologias

Doenças virais, como gripes, papeira, sarampo, mononucleose, entre outras, podem provocar alteração na audição. Além disso, a sífilis, a doença de Lyme e a síndrome de Cogan, que são doenças infeciosas ou autoimunes, podem também estar associadas à surdez súbita.

Não raras vezes, a surdez súbita apresenta uma relação com um tumor no nervo auditivo (neuroma acústico), esclerose múltipla, doença de Ménière e até mesmo um pequeno derrame no centro de equilíbrio do cérebro, o cerebelo.

2. Traumatismo craniano

Uma pancada violenta na cabeça, mesmo que não tenha sido exatamente na região específica do ouvido, pode ocasionar lesões que afetam as células auditivas, levando, portanto, à surdez súbita.

3. Medicamentos

Existem medicamentos cujos efeitos colaterais induzem à surdez súbita. Estes medicamentos são conhecidos como ototóxicos (propriedade tóxica que algumas substâncias apresentam para o ouvido), causando lesões nos ouvidos quando há sobredosagem.

Conheça os principais fármacos que podem provocar reações adversas na audição:

ClasseExemplos
Anti-inflamatóriosDiclofenaco, Etodolaco, Fenoprofen, Ibuprofeno, Indometacina, Naproxeno, Piroxicam e Inflamene
AntibióticosAmicacina, canamicina, estreptomicina, tobramicina, gentamicina, neomicina e vancomicina
Remédios para dor e febreÁcido acetilsalicílico
QuimioterápicosCisplatina
DiuréticosFurosemida, ácido etacrínico, bumetanida e torasemida

Todos estes medicamentos, quando utilizados adequadamente e por um curto período de tempo, não costumam ser tóxicos. Não obstante, se houver sobredosagem ou uma exposição prolongada aos fármacos acima referidos, estes poderão levar à perda permanente da audição, ocasionada pela acumulação da droga no organismo.

4. Infeções

São várias as infeções que podem causar a surdez súbita, imediatamente ou durante a manifestação da doença. Entre elas, estão as infeções bacterianas como a meningite bacteriana e a doença de Lyme (transmitida pela picada de carraça) e as infeções virais como a papeira, encefalite e herpes.

5. Mudanças de pressão atmosférica

A condição geralmente acontece quando há uma mudança abruta na pressão atmosférica, facto que gera um vácuo entre os ouvidos médio e interno, levando à surdez súbita. É bastante comum durante viagens de avião ou quando visitamos lugares em elevadas altitudes, podendo desaparecer automaticamente pouco tempo depois de surgir.

6. Exposição a sons muito altos

A exposição a ruídos muito altos, seja ela prolongada ou curta, pode gerar uma lesão momentânea aos nervos auditivos, lesão esta que se manifestará por meio da surdez súbita. Felizmente, o problema tende a desaparecer pouco tempo depois de se afastar do som. Todavia, se essa exposição for contínua, poderá comprometer os nervos auditivos, lesionando-os a ponto de provocar uma surdez severa.

7. Atividades físicas intensas

Tudo aquilo que é feito em exagero pode provocar reações adversas no nosso organismo, inclusive atividades físicas. Geralmente, a surdez súbita está relacionada a desportos como o levantamento de pesos e o mergulho, provocando uma fístula, isto é, um buraco, entre o ouvido médio e o interno. Se o atleta ou praticante ocasional da atividade física apresentar uma alteração congénita, estará mais vulnerável à perda súbita da audição.

Lembre-se: em caso de surdez súbita, independentemente da sua causa, é muito importante consultar um médico otorrinolaringologista de preferência no mesmo dia, ou no dia seguinte. Quanto antes a avaliação for realizada, maiores serão as probabilidades de reverter o problema.

Quais os sintomas da surdez súbita?

Os sintomas podem variar bastante. Alguns pacientes relatam ter ouvido um som “explosivo” no ouvido  quando a lesão se manifesta. Quando  acontece, normalmente a surdez súbita foi acompanhada por um zumbido persistente e por vertigens que desaparecem dentro de alguns dias. Além disso, pode também sentir uma sensação de pressão nos ouvidos, como se estivessem tapados ou entupidos.

Existe tratamento para a surdez súbita?

Certamente, e assim que a condição se manifestar aconselhamos que procure ajuda médica o mais rápido possível, sobretudo se ela permanecer por mais de dois dias. Caso contrário, as probabilidades de reversão do problema ficarão reduzidas. Nesta situação, o médico otorrinolaringologista fará os exames clínicos necessários, bem como solicitará a análise clínica para identificar a causa que originou a surdez súbita.

A depender do resultado, o profissional poderá indicar diferentes tipos de terapias, desde as mais simples, como o uso de medicamentos do tipo corticosteroides, às mais invasivas, como cirurgias no ouvido. Quando essas terapias não apresentarem resultados satisfatórios, o uso de aparelhos auditivos poderá ser indicado para restaurar parte da audição.

A perda auditiva é parte do envelhecimento?

Não necessariamente. Não obstante, muitas pessoas, sobretudo as idosas, consideram a perda auditiva e até mesmo a surdez súbita como um simples sinal do envelhecimento do corpo. Diante disso, tornam-se resilientes, aceitando passivamente a condição que provoca uma significativa queda na qualidade de vida, afetando até mesmo suas relações sociais.

Entenda: a surdez súbita pode levar a outros problemas, como a depressão e a demência, por isso, é fundamental agir assim que possível. Ignorar os sinais pode transformar o problema numa condição irreversível, o que certamente afetará sua autoestima. Cuide-se!

A redação do trabalhador.pt