Desculpas para faltar ao trabalho: justificações válidas

Por vezes, enfrentamos imprevistos que nos obrigam a faltar ao trabalho. No entanto, nem todas as justificações que apresentamos devem ser encaradas como meras “desculpas” que soltamos para fugir às responsabilidades. Existem, sem qualquer margem de dúvida, alguns casos que justificam a ausência de um profissional do seu local de trabalho.

O próprio Código do Trabalho prevê um conjunto de situações em que as faltas ao trabalho terão de ser consideradas justificadas pela entidade patronal. Não obstante, mesmo que algumas situações não estejam previstas na lei, desde que devidamente fundamentadas junto da sua entidade patronal, esta deverá compreender. Afinal de contas, a honestidade e a verdade são sempre o melhor caminho.

Neste artigo abordamos as mais comuns desculpas para faltar ao trabalho, elencando algumas das que cabem no conceito de falta justificada. Boa leitura!

Quais as desculpas para faltar ao trabalho?

Antes de mais, gostaríamos de voltar a chamar a atenção para a importância de optar sempre pela verdade, não apenas por ser eticamente correto, como também pelo facto de que as faltas declarações relativas à justificação de faltas constituem justa causa para despedimento. Algo que quererá certamente evitar.

Em seguida, apresentamos-lhe algumas das desculpas para faltar ao trabalho que se poderão considerar como justificações válidas para esse efeito:

1. Problemas com o seu automóvel

Se o seu automóvel avariar e caso este seja o meio de transporte que utiliza para se deslocar até ao seu local de trabalho, poderá justificar a sua ausência com este imprevisto. As avarias nos carros não são assim tão raras e podem acontecer a qualquer um de nós e a qualquer momento.

Portanto ao se encontrar nesta situação, ver-se-á obrigado a chamar um reboque, o que demora inevitavelmente algum tempo. Como consequência poderá chegar atrasado ao trabalho ou até poderá acabar mesmo por faltar o dia inteiro por não ter outra forma de se deslocar.

2. Os seus filhos ou netos adoeceram

Ser pai, mãe, avó ou avô é sinónimo de alegria, mas também de muitas preocupações e imprevistos. Principalmente quando são mais pequenas, as crianças tendem a ficar doentes com relativa e caso não tenha um familiar próximo que possa ficar responsável pela criança, então terá mesmo de assumir essa tarefa.

Neste âmbito referir que o Código to trabalho prevê que tantos os pais como os avós possam faltar para prestar assistências aos filhos ou netos, respetivamente, em caso de doença, caso estes sejam menores de 12 anos ou, independentemente da idade, tenham algum grau de deficiência ou doença crónica. Há, naturalmente, limites ao número de dias.

Esta situações podem resolver-se relativamente rápido, num dias ou dois, ou poderão alongar-se um pouco no tempo, razão pela qual recomendamos manter atualizada a sua entidade patronal quanto ao estado da criança.

3. Problemas com a sua casa

Estamos sujeitos a enfrentar inúmeros problemas na nossa casa. Desde um curtos-circuitos a inundações, é possível que acabe por ter de lidar com estes imprevistos num dia de trabalho e que, por isso, precise de tirar algumas horas ou até mesmo um dia inteiro para resolver tudo. É importante avisar os seus colegas ou superiores hierárquicos do sucedido, para que estes possam contar com o seu atraso ou ausência.

4. Emergência familiar

Infelizmente, esta é uma razão muito válida. Se algum familiar seu precisar de ajuda de forma repentina, e não puder contar com mais ninguém, é possível que tenha de ser você a prestar auxílio. Neste caso, o trabalho fica, como não poderia deixar de ser, para segundo plano sem grande dificuldade. Afinal, quando se trata de família, a lista de prioridades muda.

Este tipo de falta também poderá caber no conceito de “prestação de assistência inadiável e imprescindível a filho, a neto ou a membro do agregado familiar”, razão pela qual deverá ser considerada justificada.

5. Intoxicação alimentar

As intoxicações alimentares são extremamente desagradáveis. Com náuseas, vómitos e mal-estar, certamente não se encontra em condições para ir trabalhar. No entanto, muitas pessoas tentam ignorar os sintomas porque sentem que esta é uma desculpa comum que muitos profissionais acabam por dar para fugir a um dia de trabalho.

Mais uma vez, recomendamos que seja honesto e explique a situação ao seu patrão. Afinal, se for trabalhar em mau estado de saúde, não conseguirá ser produtivo, portanto mais vale ficar em casa a recuperar. Não obstante, referir que esta situação poderá ser enquadrada no conceito de impossibilidade de prestar trabalho devido a facto não imputável ao trabalhador (doença).

6. Enxaqueca

Esta é uma outra desculpa comum para faltar ao trabalho. No entanto, se estiver realmente a sofrer de uma enxaqueca, sabe que não é fácil realizar as mais simples tarefas do dia a dia. Uma dor de cabeça já é algo incomodativo, então imagine uma enxaqueca, que consegue ser muito mais intensa.

Se estiver, de facto, a sofrer de enxaqueca, avise o seu patrão com a maior antecedência possível. Novamente, também aqui poderá alegar impossibilidade de prestar trabalho devido a facto não imputável ao trabalhador em virtude de doença.

7. Doar sangue

De acordo com a Lei n.º 37/2012, um dador de sangue pode ausentar-se das suas atividades profissionais para realizar esta boa ação. Portanto, legalmente, possui justificação para faltar ao seu trabalho neste caso, pelo que não poderá sair prejudicado pela sua ausência. De qualquer das formas, recomendamos avisar sempre os seus superiores hierárquicos no local de trabalho com alguma antecedência.

Quando é que uma falta pode ser justificada?

As desculpas para faltar ao trabalho devem ser devidamente justificadas para evitar penalizações para o seu lado. Sempre que exista um motivo de força maior que o obrigue a faltar ao trabalho ou a não respeitar a sua assiduidade, a falta só é justificada se apresentar um comprovativo/prova do sucedido.

Portanto, é provável que a sua entidade patronal exija um documento que sirva como comprovativo do motivo da sua ausência no trabalho. Nesta prova, certifique-se de que insere a hora e a data do sucedido.

Mais uma vez, voltamos a recomendar a honestidade no que toca às desculpas para faltar ao trabalho. Se quiser escapar às suas responsabilidades porque já não se encontra motivado no seu local de trabalho, o melhor é mesmo enfrentar o problema e não fugir dele.

Por outro lado, se estiver a enfrentar alguns dos cenários mencionados neste artigo, não tenha vergonha em expor a sua situação. Os casos que partilhámos servem como justificações mais que válidas para romper a sua assiduidade no trabalho durante umas horas ou dias. Esperamos ter ajudado!

Catarina Fonseca

Desde cedo uma curiosa nata, decidiu seguir Ciências da Comunicação para desenvolver a sua paixão pelo jornalismo e pela escrita. Agora formada, gosta de se aventurar pelo mundo, conhecer novas pessoas e culturas, e leva sempre um caderno e câmara fotográfica às costas para eternizar as suas experiências.