Caspa: o que é, causas, sintomas e como tratar?

A caspa é algo que incomoda muita gente, sendo uma das “queixas” mais comuns dos consultórios dermatológicos. Estima-se que afete cerca de metade da população portuguesa, tanto homens como mulheres em qualquer idade.

Além de ser esteticamente inconveniente e desconfortável, a caspa, em estágios mais graves, pode causar outros problemas de saúde como a queda de cabelo, além de afetar diretamente o nosso bem estar e autoestima.

Mas como podemos tratar a caspa? Existe algum tratamento específico para este problema? Encontrará neste artigo a resposta a estas e outras perguntas. Boa leitura!

O que é a caspa?

A caspa é o nome que habitual damos a uma forma leve de dermatite seborreica, uma alteração do couro cabeludo causada por um desequilíbrio na quantidade de fungos existentes nas glândulas sebáceas.

Por falta de informação, algumas pessoas associam o surgimento da caspa à falta de higiene, mas as suas causas vão bem mais além, podendo ocorrer por conta do stress, problemas hormonais ou por outras patologias, como veremos a seguir.

O fungo Malassezia globosa, causador da caspa, vive na pele humana e alimenta-se do sebo (secreção das glândulas sebáceas), causando comichão e descamação em formato de flocos (casquinhas brancas, às vezes, amareladas).

Quais os sinais e sintomas da caspa?

A caspa é relativamente fácil de ser identificada. Os sintomas são bastante característicos, além disso, é percetível a olho nu e também pode ser percebida pelos rastos que deixam na roupa e em algumas partes do nosso corpo, como nas sobrancelhas, nos ombros e nas costas.

Entre os principais sintomas da caspa estão:

  • Prurido (comichão) e desconforto no couro cabeludo;
  • Irritação;
  • Descamação;
  • Vermelhidão.

Quais os tipos de caspa?

Genericamente podemos dizer que existem três tipos de caspa:

TiposCaracterísticas
OleosaCausada pelo excesso de oleosidade no couro cabeludo.
SecaCausada pelo ressecamento do couro cabeludo, ocorrendo a queda de pequenos flocos brancos.
Oleosa severaCausa descamação e oleosidade ocupando praticamente toda a área do couro cabeludo.

Como prevenir a caspa?

Para combater a caspa é importante conhecer os fatores desencadeadores da caspa, ou seja, o que estará na origem da descamação e da comichão no couro cabeludo. Não obstante, podem ser adotadas algumas medidas no dia a dia para prevenir o aparecimento da caspa, nomeadamente:

1. Lave o cabelo corretamente

A pergunta parece ser um pouco óbvia, mas será que sabe lavar o cabelo da forma correta? A lavagem diária ou em dias alternados, é essencial para a higienização do couro cabeludo, das raízes e do cabelo como um todo.

Veja a seguir, o passo a passo de uma lavagem do cabelo eficiente:

  1. Aplique um champô anticaspa suavemente, sem fazer atrito no couro cabeludo;
  2. Em seguida enxague e passe o condicionador ou máscara de hidratação apenas da orelha para baixo, no comprimento dos fios, evitando as raízes do cabelo;
  3. Após a lavagem, seque bem o cabelo com o auxílio de uma toalha.

Evite prender o cabelo molhado ou fazer penteados enquanto os fios não estiverem completamente enxutos.

2. Evite usar champôs secos

O champô seco é uma opção para quem não tem tempo de lavar o cabelo e precisa de atenuar a oleosidade dos fios. Apesar de prático, o champô seco não remove totalmente a sujidade e deve ser evitado caso tenha caspa ou seborreia. A lavagem com água e champô, durante o banho, é insubstituível, lembre-se disso!

3. Evite dormir com o cabelo molhado

Se gosta de lavar o cabelo à noite, procure secá-lo totalmente antes de dormir. O couro cabeludo molhado fica mais propício para a proliferação de fungos, além de contribuir para o aumento da caspa.

4. Use champôs anticaspa

É importante a recomendação médica de um champô antifúngico que contenha ativos sebo reguladores, como a piroctona olamina, zinco e o ácido salicílico. Estas substâncias proporcionam uma ação anti-inflamatória, evitando a proliferação de fungos e bactérias. Caso o champô anticaspa não seja suficiente para resolver o problema, o médico dermatologista poderá prescrever medicamentos ou corticoides para aliviar a inflamação.

5. Evite o uso de chapéus, bonés e tiaras

Deve-se evitar o uso destes acessórios e de outros objetos na cabeça, uma vez que retêm a humidade, deixando o couro cabeludo abafado e estimulando a proliferação de fungos. Evite usá-los principalmente se o cabelo estiver suado ou molhado.

6. Evite alimentos gordurosos

Certamente saberá que a alimentação é uma grande aliada da saúde. A dica é manter uma alimentação saudável e equilibrada, pois esta também ajuda a regular a oleosidade das glândulas sebáceas, combatendo a caspa de uma forma natural.

Evite o consumo de açúcar, de alimentos gordurosos e de produtos processados. Faça escolhas saudáveis. Consuma alimentos integrais, legumes, frutas e não se esqueça de beber bastante água, pelo menos dois litros por dia.

7. Use óleos essenciais

Sabia que os óleos vegetais ajudam a combater a caspa? Os óleos de alecrim, camomila, limão, capim-limão e melaleuca são ótimos remédios naturais usados para aliviar os sintomas da caspa, além de controlar a oleosidade das glândulas sebáceas, ajudando no tratamento da caspa.

8. Evite usar o secador, o alisador e o modelador de cabelo

Alguns procedimentos, como o uso de secadores, alisadores de cabelo e modeladores de cabelo, podem ser grandes vilões para o nosso cabelo, pois causam um aumento da temperatura, desencadeando a oleosidade do couro cabeludo.

9. Cuide da sua saúde

A caspa pode estar associada ao surgimento de outros problemas de saúde. Fique atento ao aparecimento de algumas doenças, mantenha o quadro regulado e procure tratamento médico, pois algumas patologias/condições podem propiciar o surgimento da caspa, além do aumento do sebo e da oleosidade do couro cabeludo, tais como:

A caspa tem cura?

Infelizmente, não. A caspa é uma doença crónica, isto é, não tem cura. A boa notícia é que existem tratamentos eficientes para a manter controlada. Cosméticos, medicamentos e champôs anticaspa à base de piroctona olamina, zinco e ácido salicílico são eficientes no tratamento da caspa, reduzindo a oleosidade e descamação sem agredir os fios.

Ao detetar os primeiros sinais da caspa, lembre-se de consultar um médico dermatologista para a indicação do tratamento mais adequado. Cuide-se!

A redação do trabalhador.pt