Como conseguir o primeiro emprego? Confira algumas dicas!

Conseguir o primeiro emprego e ingressar no mercado de trabalho nem sempre é uma tarefa fácil. Por esta situação passam a grande maioria dos jovens que, ao terminar a universidade, começam à procura de oportunidades de emprego. Importa naturalmente referir que a dificuldade pode ser maior (ou menor) em função da área de emprego, dado que nem todos os cursos apresentam a mesma taxa de empregabilidade.

Uma das principais dificuldades na procura pelo primeiro emprego é a falta de experiência profissional, que é habitualmente um dos critérios preferenciais da grande maioria das empresas. Não raras vezes deparamo-nos com anúncios de emprego para posições juniores, nas quais é solicitada experiência profissional prévia, o que na realidade não deixa de ser um contrassenso dado que sem trabalhar, não há como ter experiência, e, sem experiência, não há como trabalhar.

Mas nada é impossível. Muitas pessoas já passaram por este desafio no início da carreira e sobreviveram. Neste artigo partilhamos algumas formas de tornar esta “travessia do deserto” para o primeiro emprego um pouco mais fácil.

Como conseguir o primeiro emprego?

Em relação à experiência profissional, uma das melhores maneiras de “contornar” a sua falta é procurar realizar estágios enquanto ainda estiver a frequentar a universidade. Há diversas ofertas de estágios de verão, estágio curriculares e estágios profissionais que são ótimos para ter um primeiro contacto com o mundo do trabalho, bem como para desenvolver novas competências e conhecimentos que serão certamente muito úteis no futuro.

Outra vantagem dos estágios é o facto de colocarem o recém-licenciado (o futuro candidato ao primeiro emprego) em contato com profissionais dos diferentes departamentos de uma empresa. Este contacto não só é benéfico porque permite conhecer as diversas realidades de uma empresa, como também é uma ótima forma de no futuro obter uma carta de recomendação ou até ter uma ligeira vantagem numa futura candidatura de emprego à empresa onde está a estagiar.

Mesmo que se trate de um estágio não remunerado ou estágio de baixa remuneração (onde são apenas pagos apoios – alimentação e transportes), é importante ter em mente que qualquer nova competência que aprenda enriquecerá o seu currículo, e isto poderá fazer toda a diferença na disputa por uma vaga para o primeiro emprego. Coloque-se na posição de um recrutador, perante dois candidatos com a mesma formação académica: preferia o candidato com ou o candidato sem experiência profissional? A resposta parece-nos clara.

Além dos estágios, outro ponto importante para conseguir o primeiro emprego é investir em qualificações além da formação universitária. Cursos de línguas estrangeiras, cursos relacionados com informática, ou outros que estejam relacionados com a área na qual pretende trabalhar futuramente, são uma excelente forma de se diferenciar dos demais candidatos ao emprego.

Construir o currículo para o primeiro emprego

Construir um bom currículo é o primeiro passo para quem está à procura de emprego, trate-se do primeiro emprego ou não. O objetivo é reunir as principais experiências profissionais dos candidatos. Mas, se não há experiência profissional, surge desde logo uma questão: o que colocar?

  • Formação – Para começar, coloque a sua formação académica principal, bem como outros cursos relacionados com a área profissional que já tenha feito. Por exemplo, um recém-licenciado em marketing deverá fazer menção à sua licenciatura em marketing, bem como a cursos de especialização (SEO, tráfego pago, ecommerce, etc.).
  • Competências – Se já tiver exercido posições de liderança, seja no âmbito de trabalhos de grupo que tenha realizado durante o seu percurso académico, em estágios de verão ou estágios curriculares, em júnior empresas (empresas formadas no seio académico, muito comuns nos cursos de gestão e economia, por exemplo), associações académicas, ações de voluntariado, entre outras, não deixe de as listar, referindo o que aprendeu com cada uma delas.
  • Soft skills – Até mesmo algumas competências de cariz pessoal podem e devem ser colocadas (desde que relacionadas, ainda que indiretamente, com a área profissional). Um bom exemplo é a facilidade de comunicação.
  • Currículo personalizado – Outro aspeto importante e por vezes esquecido é que deve evitar a todo o custo o currículo “chapa sete”. Queremos com isto dizer que o seu currículo deve ser personalizado em função da vaga de emprego em questão. As competências que refere num currículo para uma posição de customer support devem ser diferentes o currículo para uma posição de back office. Antes de enviar o currículo informe-se um pouco sobre a vaga / empresa em questão.
  • Ética: E o mais importante é ser sempre verdadeiro e não mentir de forma a parecer que tem um currículo melhor. Lembre-se que, nas vagas para recém-licenciados, a grande maioria dos candidatos estará na mesma situação em termos de formação académica e experiência. Será uma disputa justa. Inventar experiência profissional até o pode ajudar a ser convocado para a entrevista para um primeiro emprego. No entanto, para além de ser antiético, poderá colocá-lo numa posição complicada caso seja descoberto.

Carta de apresentação para primeiro emprego

Uma forma de tornar a sua candidatura ao primeiro emprego mais completa é anexar ao seu currículo uma carta de apresentação. Nesta deverá falar um pouco sobre si, referindo as suas qualificações e os motivos pelos quais é um bom candidato para a vaga de emprego em questão. Deixamos de seguida uma minuta de carta de apresentação para primeiro emprego que poderá usar como inspiração.

CARTA DE APRESENTAÇÃO

Prezado [título + nome destinatário],

Venho pela presente via candidatar à vaga [descrever].

Terminei muito recentemente a minha licenciatura em [indicar licenciatura] na Universidade [nome] e estou atualmente à procura do meu primeiro emprego. Ao longo do meu percurso académico desenvolvi algumas atividades que me fizeram adquirir experiências e conhecimentos práticos na área.

Referir que tenho competências de liderança e comunicação, desenvolvidas, em grande medida, pela minha participação em diversos projetos que participei ao longo do meu percurso académico.

Creio que estas competências muito contribuirão para reduzir o período de aprendizagem a que estaria sujeito na nova empresa.

Fico ao vosso dispor para uma entrevista, onde poderei falar um pouco sobre as minhas competências e o porquê de me estar a candidatar à vossa empresa e não a outra.

Por fim, referir que anexo o meu currículo para vossa análise.

Atenciosamente,

[assinatura]
[primeiro e último nome]

Exemplo de carta de recomendação para primeiro emprego

Ao contrário de uma carta de apresentação, que é escrita pelo próprio candidato ao emprego, a carta de recomendação é escrita por uma terceira pessoa, seja esta um antigo professor, um antigo coordenador de estágio ou outro. Partilhamos um exemplo:

CARTA DE RECOMENDAÇÃO

Caro [título + nome destinatário],

Escrevo a presente carta para recomendar [nome] para [cargo] na [nome da empresa]. Foi meu discente na disciplina [nome] na Universidade, onde ainda exerço funções, e sempre apreciei a sua dedicação às aulas e aos trabalhos, além do seu excelente relacionamento com os colegas.

Referir ainda que realizou um estágio de verão na empresa [nome], onde acumulo funções de diretor de marketing, tendo-se relevado um excelente profissional e demonstrado excelente conhecimentos no [assunto específico], o que certamente será certamente uma um excelente contributo para a vossa a empresa.

Estou à disposição para trocar algumas impressões sobre o presente assunto, tanto por email [endereço], bem como por telefone [indicar número].

Atenciosamente,

[assinatura]
[nome]

A primeira entrevista de emprego

Se o seu currículo for um dos selecionados, chegará a hora de participar na entrevista de emprego, que, regra geral, é realizada presencialmente na empresa. Por mais que se prepare para a primeira entrevista de emprego é normal que, tratando-se do primeiro emprego, o nervosismo possa atrapalhar um pouco. No entanto, deve encarar isto com relativa normalidade. Quanto maior for o número de entrevista de emprego em que participar, mais preparado estará.

Para se sair bem numa entrevista para primeiro emprego, é importante ler com cuidado o perfil de candidato que a empresa está à procura, procurando assinalar aquelas características que possui, focando-se nos seus pontos fortes e, não menos importante, naqueles em que precisa de melhorar.

A partir disso, prepare algumas respostas voltadas para questões que são normalmente colocadas aos candidatos a um primeiro emprego, muitas das quais relacionadas com a sua formação académica. Se possível pode até praticar em frente ao espelho (embora possa parecer estranho, é uma ótima forma de se preparar).

Os candidatos com pouca experiência nestas andanças têm por hábito tentar usar uma linguagem mais formal nas entrevistas de emprego. Isto até poderá correr bem, no entanto não se deve esquecer que é um momento que poderá acarretar algum nervosismo, sobretudo nas entrevistas para o primeiro emprego, pelo que utilizar uma linguagem na qual se sinta mais confortável é certamente mais recomendado.

Expectativa vs realidade do primeiro emprego

Mesmo quando tudo dá certo, é comum que os recém-licenciados tenham de enfrentar alguns desafios no primeiro emprego. Na prática, nem sempre o dia a dia de trabalho corresponde exatamente ao que é idealizado nos corredores da faculdade. Algo que, por vezes, poderá causar algum desconforto.

Perceber que o primeiro emprego pode não ser exatamente como se esperava é muito comum, especialmente porque ao sair da universidade há uma grande expectativa em relação ao início da carreira profissional.

Caso se aperceba que o primeiro emprego não corresponde exatamente ao que idealizava, nada de se desesperar. Pense que isso faz parte do processo de aprendizagem e acontece com a maioria dos recém-licenciados. Especialmente no caso do primeiro emprego, é natural que as tarefas que lhe são solicitadas sejam mais simples, muitas vezes com tarefas que não são exatamente na sua área e que poderão fugir um pouco à job description, o que gera uma sensação de frustração por ter estudado tanto e não conseguir colocar tudo o que aprendeu em prática. Mas esses são passos que só serão dados com o tempo.

Ainda que com algumas dificuldades, o primeiro emprego é extremamente importante não só para obter a muito desejada independência financeira, como também para aprender a assumir responsabilidades, entender melhor o mercado de trabalho e até mesmo perceber o que realmente quer fazer a nível profissional.

Mariana Bueno

Brasileira, jornalista e escritora. Desde criança tem os livros como os seus grandes companheiros e, mais tarde, transformou a escrita em profissão. É formada em Comunicação e pós-graduada em Media Digitais. Gosta de transmitir informações por meio dos seus textos e adora ouvir e contar boas histórias, de preferência as que descobre ao viajar por diferentes lugares.