Enurese noturna: o que é, quais as causas e tratamento?

O seu filho já fez xixi na cama? Se a resposta for sim, saiba que este incidente é algo bastante comum, sendo conhecido pelos especialistas como enurese noturna.

A perda involuntária de urina durante o sono costuma ocorrer entre o período de desfralde, isto é, quando se retira as fraldas às criança, até ao momento em que ela consegue controlar o esfíncter uretral, músculo que controla a abertura e o fecho do orifício por onde a urina é eliminada.

A maturidade para controlar a micção pode variar de criança para criança, no entanto, geralmente acontece aos 5 anos de idade, faixa etária em que pelo menos 85% das crianças pequenas já conseguem ir à casa de banho.

Todavia, a enurese noturna pode-se manifestar uma ou outra vez, mas quando ocorre mais de uma vez num mês ou quando é acompanhada por outros sintomas urinários como urgência urinária, jato intermitente ou infeções, é hora de procurar aconselhamento médico de forma a entender o que se passa com a saúde da criança.

Apenas um especialista poderá prescrever um exame de urina, através do qual será possível verificar a presença de infeções e diabetes, e um raio-X, para avaliar a estrutura do trato urinário.

Lembramos que a enurese noturna atinge sobretudo as crianças, e raramente ocorre durante a puberdade ou na vida adulta, podendo afetar pessoas idosas com maior incidência. Neste caso, é conhecida como diurese noturna.

Como é feita a avaliação médica?

A enurese noturna costuma desaparecer à medida em que a criança se desenvolve, entretanto, quando associada a outras doenças, pode ser necessário tratamento específico. Além do exame de urina e raio-X, outras questões podem ser levadas em conta para a realização do diagnóstico, entre elas:

  • Histórico familiar;
  • Quantidade e horário da ingestão de líquidos;
  • Hábito intestinal;
  • A criança ser do sexo masculino;
  • Hábitos e intervalos de micção;
  • Síndrome de défice de atenção e hiperatividade;
  • Histórico de doenças do trato urinário;
  • Padrão do sono, entre outros.

Quais as causas da enurese noturna?

São vários os fatores que podem contribuir para a manifestação dos sintomas da enurese noturna, nomeadamente:

  • Bexiga pequena;
  • Incapacidade de reconhecer quando a bexiga está cheia;
  • Falta de hormonas antidiuréticos capazes de reduzir a quantidade de produção de urina durante a noite;
  • Eventos que causem stress, como mudar de escola, o nascimento de um irmão, mudanças de rotina, entre outros;
  • Infeção do trato urinário;
  • Apneia do sono;
  • Diabetes tipo um;
  • Constipação crónica;
  • Problemas estruturais no trato urinário e até mesmo do sistema nervoso.

Como é feito o tratamento da enurese noturna?

Quando outras doenças são descartadas, geralmente o problema tende a desaparecer sozinho. Nestes casos, a família precisa de se mostrar bastante compreensiva com a criança, pois ela não é culpada, visto tratar-se de uma perda involuntária de urina.

Posteriormente, é preciso estabelecer algumas mudanças comportamentais com o objetivo de regularizar a ingestão de líquidos, bem como o hábito intestinal e assim estabelecer padrões miccionais. Existem alguns dispositivos, como alarmes, que podem ajudar a criar estes padrões, pois eles auxiliam a criança a acordar e ir ao banheiro antes que ela faça xixi na cama.

Se estas terapias não forem suficientes, o médico poderá prescrever medicamentos capazes de inibir a produção de urina durante a noite.

Perguntas frequentes sobre enurese noturna

Cientes de que a enurese noturna é um tema que suscita várias questões, compilamos um conjunto de questões que são frequentemente colocadas sobre o tema e as respetivas respostas.

1. A enurese noturna é mais comum nos meninos ou meninas?

Como referimos, as crianças do sexo masculino costumam ser mais suscetíveis. Estima-se que a enurese noturna seja 2 a 3 vezes mais comum nestas.

2. A enurese noturna pode ser hereditária?

A hereditariedade é um fator de risco, visto que, quando um dos pais apresentou a condição quando criança, o filho terá até 44% de chances de ser enurético. Se os dois pais apresentaram a condição, as possibilidades sobem para 77%.

3. Até que idade é razoável a criança fazer xixi na cama?

A partir dos 5 anos a criança já costuma conseguir controlar o esfíncter da uretra. Não obstante, a enurese noturna pode acontecer depois dessa idade, sendo recomendado então que os pais procurem a ajuda de um médico pediatra, urologista ou nefrologista pediátrico.

4. Pode estar associada a algum tipo de problema fisiológico?

Apenas um médico poderá afirmar com precisão se existe algum problema fisiológico associado à enurese noturna. Quando isso acontece, o diagnóstico pode revelar redução da capacidade funcional da bexiga, problemas urológicos como refluxo vesico-ureteral, anormalidades na produção de hormonas antidiuréticos durante à noite, entre outros.

5. Como abordar a criança que sofre com a enurese noturna?

O primeiro passo é ter paciência e compreensão, já que a criança faz xixi na cama involuntariamente. Os pais devem oferecer apoio emocional, o que será fundamental para que supere o problema. Jamais a castigue ou estimule o uso de fraldas.

6. É preciso tratamento psicológico para a enurese noturna?

O tratamento psicológico é uma indicação que deve ser analisada caso a caso, não sendo, portanto, uma regra geral. Salientamos que a enurese noturna pode desencadear distúrbios emocionais, entre eles redução da autoestima e ansiedade.

Existem casos em que a condição está associada a situações de stress, como a perda de um ente querido, o nascimento de irmãos e a separação dos pais. Em todas estas circunstâncias a ajuda de um psicólogo poderá ser necessária.

7. A criança a deve ir à casa de banho antes de dormir?

Não só é necessário como também é fundamental estimular que a criança ganhe o hábito de ir à casa de banho antes de dormir. Este hábito pode diminuir muito significativamente as possibilidades de a criança manifestar enurese noturna.

8. Dar uma recompensa pelas “noites secas” funciona?

Como já mencionamos, o apoio e reconhecimento positivo dos pais deve, sim, ser estimulado. Pelo que estimular as crianças a desenvolverem bons hábitos é sempre recomendável.

9. Quais as complicações da enurese noturna recorrente?

Quando a enurese noturna não tem uma qualquer causa física, não costuma apresentar qualquer risco à saúde da criança. Não obstante, o sintoma pode gerar alguns problemas:

  • Culpa e vergonha, que podem levar à baixa estima;
  • Erupções na área genital, principalmente quando a criança passa a noite nos lençóis molhados ou permanece por longos períodos com as roupas molhadas;
  • Frustração por não conseguir controlar a urina durante a noite.

10. Como lidar com a enurese noturna em idosos?

Quando urinar involuntariamente durante a noite afeta idosos, o mais recomendado é levar a pessoa ao médico assim que surgirem sintomas de diurese noturna para avaliar o caso e procurar soluções que resolvam o problema. Este pode ser o sintoma de muitas doenças e não deve ser encarado com vergonha e frustração. Apoiar o paciente é fundamental em todos os momentos.

Gostou deste artigo? Que tal partilhar estas informações com os seus amigos? Lembramos que as instruções aqui contidas não substituem a orientação de um especialista, nomeadamente de um médico pediatra, urologista ou nefrologista infantil. Jamais se automedique ou subestime os sintomas da enurese noturna. Procure aconselhamento para si ou para seu filho e tenha mais saúde em sua casa!

Luana Castro Alves

Graduada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)