Ozonoterapia: o que é, para que serve e como é realizada?

Com o passar dos anos, e com a evolução das tecnologias e da medicina, muitas doenças passaram a poder ser tratadas através de métodos não convencionais. A chamada medicina alternativa, apesar de não uma sustentação científica, como a medicina tradicional, é a escolha de muitas pessoas no tratamento de várias patologias. É o caso da ozonoterapia.

A camada de ozono protege-nos dos raios UV que chegam na terra, e do conhecimento geral que o ozono é um gás tóxico. A inalação de ozono está associada a vários problemas respiratórios e cardiovasculares. No entanto, a ozonoterapia é uma técnica que, através dos procedimentos corretos, utiliza o ozono no tratamento de doenças.

Neste artigo, abordamos a ozonoterapia, procurando responder às perguntas mais frequentes sobre esta terapia, nomeadamente como funciona e quais as suas finalidades.

O que é ozonoterapia?

A ozonoterapia é uma técnica não convencional em que é administrado ozono no corpo com vista ao tratamento de várias patologias. O ozono é aplicado no local da doença, através das veias, nos músculos ou através de insuflação retal. Por se tratar de um procedimento sensível, esta técnica deve apenas ser realizada apenas por um profissional da saúde.

O “ozono médico” (mistura de oxigénio medicinal com uma pequena percentagem de ozono produzido por um gerador certificado) possui propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e anti sépticas, melhorando o funcionamento e a oxigenação dos tecidos, além de fortalecer o sistema imunitário.

Para que serve a ozonoterapia?

A ozonoterapia interrompe processos corporais que não são saudáveis, como as bactérias e as infeções, ou impede a oxidação de tecidos e processos. Por essas razões, pode ser usado para melhorar várias condições de saúde.

Listamos infra algumas delas:

1. Problemas respiratórios

A asma, a bronquite e outras doenças respiratórias podem ser tratadas através da ozonoterapia. A ozonoterapia promove uma maior entrada de oxigénio no sangue, aumentando a glicose, melhorando os glóbulos vermelhos e libertando mais oxigénio para os tecidos do corpo.

Esta técnica também melhora significativamente as vias respiratórias, deixando-as mais resistentes, melhorando a frequência respiratória.

2. Sistema imunitário

Pessoas com dificuldades ou deficiências no sistema imunitário podem registar melhoria com a ozonoterapia. Este tratamento ajuda a atenuar doenças como a esclerose múltipla ou a artrite reumatoide, em virtude de estimular o sistema imunitário, deixando-o mais forte dado.

3. HIV/SIDA

Alguns estudos apontam para que a ozonoterapia pode ser benéfica no tratamento contra o HIV/SIDA, pois o ozono causa a inativação de uma proteína deste vírus. Além disso, o ozono atua como antioxidante e antimicrobiano, melhorando a qualidade de vida de quem padece da doença.

4. Cancro

Alguns estudos apontam para que, desde que realizada da forma correta, a ozonoterapia possa ter benefícios do tratamento do cancro, nomeadamente travando a replicação de células cancerígenas.

Além disso, a ozonoterapia estimula a defesa de outras células do corpo, e aumenta outros fatores ligados à estímulos para reações do sistema imunológico.

Por ser minimamente invasiva a ozonoterapia pode ainda ser realizada em paralelo com outros tratamentos, como a radioterapia e a quimioterapia, pois ajuda a reduzir as complicações e aumenta a eficácia desses tratamentos.

5. Infeções

A ozonoterapia consegue inativar bactérias, fungos, vírus e outros parasitas que atacam o corpo humano. Existem estudos que comprovam a sua eficácia em certas infeções, como a doença de Lyme, candidíase e até outras infeções vaginais e intestinais.

Para combater as bactérias, a ozonoterapia age interrompendo a integridade das “paredes” que envolvem a bactéria, e isso faz com que os fosfolipídios e as lipoproteínas sejam oxidados.

Já nos fungos, a ozonoterapia interrompe o processo de crescimento das células fúngicas em determinadas etapas. Nos vírus, o ozono danifica o vírus e interrompe o ciclo reprodutivo do mesmo.

6. Diabetes

Algumas complicações que os pacientes com diabetes podem enfrentar vêm da oxidação que ocorre no corpo por conta do stress. Através da ozonoterapia ocorre uma ativação do sistema antioxidante que normaliza os níveis de glicemia do sangue.

Além disso, a ozonoterapia melhora a circulação e permite a melhoria dos tecidos que são afetados pela falta de oxigenação que ocorre na diabetes. Por isso, apesar de não existirem estudos que comprovem a eficácia da ozonoterapia para o tratamento da diabetes, esta pode ser utilizada para melhorar a cicatrização de úlceras e feridas causadas pela doença.

7. Feridas

A ozonoterapia é uma ótima alternativa para tratar feridas, bastando aplicar ozono diretamente na área magoada. Estudos in vitro parecem demostrar que o ozono reduz a concentração de algumas bactérias que retardam o processo de cura de uma ferida.

8. Outras doenças

Além das condições acima referidas, a ozonoterapia pode ainda ser realizada para o tratamento de doenças inflamatórias, artrite, hérnias, problemas de circulação, síndromes respiratórias, reumatismo, isquemia, colesterol alto e também no tratamento odontológico de cáries dentárias.

Como é realizada a ozonoterapia?

Como já referimos, mesmo tratando-se de um procedimento minimamente invasivo, a ozonoterapia deve ser sempre realizada por um profissional de saúde. A ozonoterpia pode ser realizar através da aplicação direta sobre feridas, via intravenosa ou via intramuscular.

No caso da ozonoterapia intravenosa, é retirada uma quantidade de sangue do paciente e depois “misturada com ozono”, sendo em seguida reaplicado no paciente.

Já na ozonoterapia intramuscular, o ozono pode ser misturado tanto no próprio sangue do paciente, como também em água estéril e em seguida aplicado nos músculos.

Existem outras técnicas que também podem ser utilizadas na ozonoterapia, como injeções paravertebrais e intradiscais, ou através de insuflação renal, onde o ozono é misturado com oxigénio e aplicado diretamente no cólon do paciente.

Quais os efeito colaterais da ozonoterapia?

O ozono é um gás instável, o que pode tornar o tratamento um pouco previsível. Se aplicado em quantidades erradas, o ozono pode danificar os glóbulos vermelhos do sangue.

Quais as contraindicações da ozonoterapia?

Sim, a ozonoterapia não deve ser administrada durante o período gestacional, em pacientes que já sofreram enfartes, pessoas com hipotireoidismo não controlado, problemas de coagulação no sangue, entre outras.

Esperamos que este artigo tenha ajudado a perceber algumas das principais aplicações da ozonoterapia. Por fim, referir que o presente artigo não substituiu o aconselhamento médico. Cuide-se!

A redação do trabalhador.pt