Dor na bexiga: quais as principais causas e o que fazer?

A dor na bexiga é um sintoma relativamente comum, que pode indicar uma série de possíveis patologias. Embora seja algo corriqueiro, devemos dar a devida atenção a este “incómodo”, afinal de contas, sentir dor é o primeiro sinal que o corpo emite quando algo não vai bem.

Regra geral, as dores na bexiga indicam uma infeção urinária, ou irritação provocada por cistos ou cálculos; todavia, podem ser causadas por inflamação no útero ou no intestino. Por não ser possível afirmar a sua origem, é indispensável que se consulte um médico, pois apenas este profissional conseguirá investigar os sintomas e proceder ao correto diagnóstico do problema.

Se está a sentir dores na bexiga e procura ajuda neste artigo, fique atento às informações que partilhamos consigo. Abordaremos as principais causas do desconforto, bem como os seus possíveis tratamentos. Não obstante, é importante referir que a leitura deste texto não substitui a orientação de um especialista, nomeadamente, de um clínico geral, ginecologista ou urologista.

Quais as possíveis causas da dor na bexiga?

Conheça algumas das mais comuns causas das dores na bexiga

1. Infeção urinária

Certamente esta é a causa mais comummente associada à dor na bexiga. A infeção urinária pode afetar a bexiga, a uretra ou, quando mais grave, os rins. Geralmente, vem acompanhada por outros sintomas, entre eles:

  • Dor na pelve ou na bexiga ao urinar;
  • Muita vontade de urinar, mas pouca quantidade de urina;
  • Urgência urinária;
  • Sangue na urina;
  • Dor na uretra ou na bexiga durante as relações sexuais;
  • Febre baixa.

As mulheres são mais suscetíveis à infeção urinária, contudo, a condição pode também afetar homens de diferentes grupos etários. Se apresenta os sintomas acima descritos, não hesite em procurar ajuda médica. O médico fará a avaliação com observação na região íntima e poderá solicitar exames complementares, entre eles, um exame de urina.

Como tratar a infeção urinária?

Se confirmado que a dor na bexiga está a ser provocada por uma infeção urinária, o uso de antibióticos poderá ser indicado. Analgésicos, entre eles Paracetamol, e anti-inflamatórios, como Ibuprofeno, também poderão ser prescritos para proporcionar um alívio da dor e do desconforto. É fundamental referir que o tratamento da infeção urinária inclui a ingestão de, no mínimo, 2 litros de água por dia, bem como uma boa higiene íntima.

2. Síndrome da bexiga dolorosa

A dor na bexiga pode ter como origem a síndrome da bexiga dolorosa, também conhecida por cistite intersticial. Trata-se de uma inflamação ou irritação da parede da bexiga, cuja causa é desconhecida, podendo afetar tanto homens quanto mulheres. Entre os seus principais sintomas estão:

  • Dor na bexiga;
  • Ardência ou dor durante a micção;
  • Dificuldade em urinar;
  • Dor durante a relação sexual;
  • Vontade de urinar várias vezes ao dia e à noite.

Geralmente as pessoas costumam confundir estes sintomas, que apresentam períodos de melhoria e agravamento, com os sintomas da infeção urinária. Essa confusão pode fazer com que o paciente seja submetido a tratamentos errados e repetidos, em que os antibióticos são administrados sem necessidade.

Além disso, algumas pessoas veem os sintomas agravados quando consomem substâncias como tabaco, café, álcool, chá preto e alimentos ácidos, por exemplo, ou quando são submetidas a altos níveis de stress.

Como tratar a síndrome da bexiga dolorosa?

O médico poderá prescrever o uso de analgésicos ou anti-inflamatórios para aliviar os sintomas quando estes são físicos. Caso o problema tenha sido desencadeado por causas psicológicas, indica-se o tratamento com psicoterapia ou terapias alternativas, como a meditação. Além disso, é essencial que o paciente evite o uso de substâncias que possam provocar crises.

3. Bexiga neurogénica

A bexiga neurogénica está entre as principais patologias relacionadas com a dor na bexiga. Trata-se de uma disfunção na capacidade de relaxar e contrair a bexiga e as vias urinárias, causada por doenças neurológicas. A condição provoca incontinência urinária, sensação de esvaziamento incompleto da bexiga e, na maioria dos casos, provoca também dor na barriga.

Essa disfunção pode ser classificada em dois tipos: hipoativa, quando a bexiga não se consegue contrair voluntariamente, acumulando urina, ou hiperativa, em que a bexiga se contrai com demasiada facilidade, ocasionando urgência para urinar. Este último tipo é mais comum entre as mulheres.

Como tratar a bexiga neurogénica?

Esta disfunção é tratada de acordo com a causa e os sintomas relatados por cada paciente. Em algumas situações, o médico poderá indicar fisioterapia e o uso de fármacos. Nos casos mais graves, será necessário a passagem de uma sonda vesical ou até mesmo a realização de um procedimento cirúrgico para correção do problema.

4. Inflamações na bexiga

A inflamação na bexiga pode ser a causa da dor neste órgão. Essa inflamação pode ter variadas causas, entre elas:

  • Endometriose vesical: provocada por implantes de tecido uterino na bexiga. Causa dor intensa e crónica, acentuada em razão do período pré-menstrual;
  • Uso de medicamentos: uma das causas mais frequentes das inflamações na bexiga;
  • Uso prolongado de sonda vesical;
  • Funcionamento do sistema imunitário, designadamente uma autoagressão das células da bexiga;
  • Cancro na bexiga, doença que provoca lesões no órgão.

Alterações na próstata também podem causar inflamações na bexiga, sobretudo em virtude de inflamações, infeções e até mesmo da presença de um tumor na região.

Como tratar inflamações na bexiga?

Em primeiro lugar é necessário descobrir a origem da inflamação na bexiga. Somente com o diagnóstico em mãos o médico poderá indicar o tratamento apropriado para o paciente. Os sintomas podem ser minimizados com o uso de analgésicos e anti-inflamatórios. Posteriormente, poderão ser aplicadas outras terapêuticas, como uso de medicamentos e indicação cirúrgica.

5. Pedra nos rins

Popularmente conhecido como “pedra nos rins”, o cálculo renal podese instalar em qualquer região das vias urinárias, como os rins, ureteres, bexiga ou uretra. O problema provoca uma dor intensa quando a pessoa se movimenta, afetando a região das vias urinárias e ocasionando sangramento na urina e náuseas.

Como tratar a pedra nos rins?

Somente um profissional de saúde poderá indicar o tratamento adequado, visto que a este é incumbida a tarefa de analisar o tamanho e a localização da pedra. Munido dessas informações, o médico avaliará a necessidade de intervir cirurgicamente ou não. De qualquer maneira, o paciente deverá hidratar-se, ingerindo cerca de 2 litros de água por dia, cuidado que facilitará a eliminação do cálculo e dificultará eventuais complicações nos rins.

A dor na bexiga pode ser gravidez?

A dor na bexiga não costuma ser apontada como um indício de gravidez, visto que as infeções urinárias geralmente surgem no decorrer da gestação. Quando a grávida sente uma dor na bexiga, esta geralmente está relacionada com as modificações corporais comuns nesse período, sobretudo no fim da gravidez, cuja causa é a pressão que o útero aumentado provoca sobre os órgãos da pélvis.

Além disso, com o aumento da produção da hormona progesterona, a bexiga torna-se mais relaxada, contendo mais urina, facto que pode causar desconforto ao urinar ou dor na bexiga durante o dia.

Como tratar a dor na bexiga provocada pela gravidez?

Nenhuma mulher grávida deve utilizar medicamentos sem a devida orientação do médico. Todavia, existem alguns hábitos que podem ser adotados no dia a dia para aliviar os sintomas da dor na bexiga, entre eles:

  • Beber bastante água;
  • Utilizar roupas confortáveis (de preferência, roupas de algodão);
  • Manter uma boa higiene da região íntima;
  • Descansar sempre que possível;
  • Evitar situações que provoquem stress.

Outras causas da dor na bexiga

A região da pélvis é bastante sensível, por isso, está sujeita a inflamações que provocam dores na bexiga. Quando essas inflamações não se encaixam em nenhum dos tópicos já mencionados neste artigo, é sinal de que podem estar associadas a outros diagnósticos menos comuns. A saber:

  • Cólicas abdominais, causadas pela menstruação ou pela gravidez;
  • Inflamações dos músculos ou articulações da pélvis;
  • Endometriose de outros órgãos da pélvis, como trompas, ovários, intestino e peritónio;
  • Doenças do intestino, como a doença inflamatória intestinal ou a síndrome do cólon irritável;
  • Doença inflamatória pélvica, causada por infeções na vagina e útero.

Importante: a dor na bexiga é geralmente um indício de um problema mais sério, que deve ser investigado e adequadamente tratado com a ajuda de um médico. Jamais deve subestimar os sintomas, pois quanto antes o diagnóstico for feito maiores serão as probabilidades de cura. Evite a automedicação e inclua hábitos saudáveis na sua rotina, como o consumo regular de água, comportamento que pode evitar problemas relacionados à região da pélvis. Cuide-se!

Luana Castro Alves

Graduada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)