Índice de Massa Corporal: o que é o IMC e como o calcular?

Como vai a sua saúde? Esta é uma pergunta que geralmente nos faz refletir, não é mesmo? Bom, para responder é preciso, antes de mais, avaliar alguns elementos, mas o facto é que todos nós já sabemos que, na maioria das vezes, a nossa saúde e o nosso bem-estar estão relacionados a um fator muito importante: o peso corporal.

Neste âmbito, é importante referir que o excesso de peso pode acarretar complicações, acontecendo o mesmo quando este está abaixo do normal. O ideal é encontrarmos um ponto de equilíbrio de forma a evitarmos problemas associados à obesidade ou ao baixo peso, atingindo o tão sonhado “peso ideal”. Mas como saber qual o nosso peso ideal? Simples, basta calcular o seu IMC.

Imaginamos que deve estar a perguntar-se “o que é IMC?”, não é verdade? Pois bem, continue a ler este artigo que em breve vai entender o que significa esta sigla, bem como a sua relevância para a nossa saúde. Acompanhe!

O que é o IMC?

O IMC significa Índice de Massa Corporal. Este nada mais é que uma fórmula de cálculo que nos ajuda a entender se estamos dentro do peso ideal em relação à nossa altura. Através deste é possível fazer umas contas e obter uma resposta certeira, que o poderá ajudará a adotar algumas medidas caso o resultado não esteja dentro do esperado e/ou recomendado.

Estar em paz com a balança diminui consideravelmente as suas probabilidades de adquirir ou apresentar doenças como AVC, hipertensão, enfarte e até mesmo desnutrição, esta última em casos de baixo peso corporal. Por isso, são muitos os nutricionistas, enfermeiros e médicos que utilizam o IMC para verificarem a possibilidade de enfermidades às quais a pessoa pode estar predisposta.

Para descobrir o seu IMC, é preciso saber com precisão a sua altura e o seu peso. Feito isso, entenda a seguir como poderá ser calculado o Índice de Massa Corporal.

Como calcular o IMC?

O cálculo do IMC é bastante simples, qualquer pessoa pode fazer utilizando a seguinte fórmula matemática: Peso ÷ (altura x altura)

Vamos a três hipóteses para ilustrar esse cálculo:

Hipótese 1:

  • Altura: 1,70m
  • Peso: 69Kg

Cálculo:

  • 69 ÷ (1,70 x 1,70)
  • 69 ÷ 2,89
  • IMC: 23,9kg/m2

Hipótese 2:

  • Altura: 1,55m
  • Peso: 75kg

Cálculo:

  • 75 ÷ (1,55 x 1,55)
  • 75 ÷ 2,40

IMC: 31,25kg/m2

Hipótese 3:

  • Altura: 1,90m
  • Peso: 68kg

Cálculo:

  • 65 ÷ (1,90 x 1,90)
  • 65 ÷ 3,61

IMC: 18,00kg/m2

Feitos os cálculos, vamos à tabela do IMC para os interpretá-los adequadamente:

ClassificaçãoIMCPossíveis consequências
Muito abaixo do peso16 a 16,9 kg/m2Queda de cabelo, infertilidade, ausência menstrual
Abaixo do peso17 a 18,4 kg/m2Fadiga, stress, ansiedade
Peso normal18,5 a 24,9 kg/m2Menor risco de doenças cardíacas e vasculares
Excesso de peso25 a 29,9 kg/m2Fadiga, má circulação, varizes
Obesidade Grau I30 a 34,9 kg/m2Diabetes, angina, enfarte, aterosclerose
Obesidade Grau II35 a 40 kg/m2Apneia do sono, falta de ar
Obesidade Grau IIImaior que 40 kg/m2Refluxo, dificuldade em se mover, escaras, diabetes, enfarte, AVC

Esta tabela indica os possíveis resultados do IMC, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Para mais informações, procure a orientação de um médico:

  • Hipótese 1 – IMC = 23,9kg/m2: Peso normal
  • Hipótese 2 – IMC = 31,25kg/m2: Obesidade Grau I
  • Hipótese 3 – IMC = 18,00kg/m2: Abaixo do peso

Se estiver dentro do peso ideal

Conforme hipótese 1, a recomendação é de que continue a ter cuidado com a alimentação. Caso tenha um estilo de vida sedentário, comece a praticar atividade física regularmente, hábito que o ajudará a manter o seu peso corporal, bem como na prevenção de doenças. Se é adepto de algum desporto ou exercício físico, continue firme e tenha a certeza de que está no caminho certo para uma vida longa e saudável.

Se estiver com excesso de peso

Conforme hipótese 2, procure a ajuda de um nutricionista ou médico endocrinologista. Estes são os profissionais mais indicados para o orientar quanto a melhor maneira de perder peso e assim evitar problemas associados à obesidade ou ao excesso de peso. Deverão indicar-lhe os exames complementares a serem realizados e, posteriormente, poderá procurar uma atividade física mais adequada às suas necessidades, bem como às suas preferências.

Se estiver abaixo do peso ideal

Conforme hipótese 3, também será preciso consultar um nutricionista ou médico endocrinologista. Apenas estes profissionais o poderão orientar quanto a melhor dieta para aumentar o seu IMC, o que será indispensável para o proteger de doenças associadas ao baixo peso.

Em que situação não usar o IMC?

Embora seja um cálculo bastante utilizado para descobrir se o indivíduo está acima, dentro ou abaixo do peso, nem sempre o IMC é o parâmetro ideal para avaliar a massa corporal, sobretudo, nos seguintes casos:

  • Pessoas muito musculosas e atletas: o IMC é um cálculo que não leva em consideração o peso dos músculos. Sendo assim, o mais indicado é utilizar o método da medida do pescoço, que poderá ser realizada da seguinte maneira: fique em pé e passe a fita métrica em volta do pescoço, posicionando-a exatamente no meio do pescoço. A medida ideal da circunferência do pescoço é de até 37 cm para homens e de até 34 cm para mulheres.
  • Idosos: com o envelhecimento, é natural que ocorra uma diminuição dos músculos. Nestes casos, para avaliar as condições de saúde da pessoa idosa, é preciso consultar um médico geriatra, capaz de identificar se é preciso aumentar ou diminuir o peso corporal. Feito isso, será necessário o empenho de uma equipa multidisciplinar (cardiologistas, endocrinologistas, nutricionistas) para garantir que o peso esteja adequado.
  • Gestantes: o IMC não é um parâmetro capaz de avaliar a massa corporal da gestante porque não leva em consideração o crescimento e peso do bebé. Consulte um médico ginecologista, pois apenas este poderá dizer se poderá estar com excesso de peso ou obesidade.

Nota: O IMC também não é indicado para calcular o peso de pessoas acamadas, desnutridas ou que apresentem edemas.

Por que é importante estar dentro do peso ideal?

O peso diz muito sobre a nossa saúde. Quando esta dentro dos valores ideais, de acordo com a tabela de IMC, o indivíduo tem menos probabilidades de sofrer de doenças cardiovasculares e tantas outras que surgem quando o IMC está abaixo ou acima do padrão.

É importante referir que ter uma pequena acumulação de gordura no corpo é essencial para as nossas reservas de energia, o que será de grande valia caso a pessoa fique doente e precise de tempo para recuperar. Contudo, quando há excesso de peso, a gordura fica acumulada no fígado, na cintura e dentro das artérias, o que dificultará a circulação do sangue, aumentando assim as probabilidades de se desenvolver doenças cardíacas, entre outras.

Em caso de dúvidas, procure a ajuda de um médico. O IMC é um parâmetro bastante utilizado, porém, o mais adequado é que consulte um especialista, pois apenas este poderá indicar as melhores alternativas para ganhar ou perder peso. O início da prática de atividade física, por exemplo, deverá ser sempre antecedida de um check-up.

Luana Castro Alves

Graduada em Letras e Pedagogia, redatora e revisora, entusiasta do universo da literatura, sempre à procura das palavras. "Não se pode escrever nada com indiferença." (Simone de Beauvoir)