Medicina tradicional chinesa: uma medicina igualmente confiável?

A medicina tradicional chinesa teve a sua origem na China há milhares de anos, mas só nas últimas décadas tem ganho notoriedade no Ocidente. Atualmente, é cada vez mais comum recorrer-se a métodos da medicina tradicional chinesa para tratar problemas muitas vezes não solucionados através dos tratamentos tradicionais.

No entanto, esta é uma temática ainda muito controversa na comunidade médica ocidental, que continua a apresentar dúvidas e ceticismos perante a eficácia deste conjunto de terapias orientais. Mas haverá razão para tal? Neste artigo explicamos-lhe tudo o que precisa de saber.

O que é a medicina tradicional chinesa?

A medicina tradicional chinesa (MTC) reúne um conjunto de práticas originalmente criadas na China há cerca de 3000 anos. Entre estas práticas estão a acupunctura fitoterapia chinesa, ventosas, moxabustão, meditação, entre outras, e todas elas servem para prevenir problemas de saúde.

A medicina tradicional chinesa apresenta uma abordagem holística ao ser humano, vendo este como parte da natureza, focando-se assim na reflexão de perceções sensoriais, ao contrário do que acontece com a medicina que todos conhecemos no Ocidente, que se foca mais em métodos como a tecnologia para oferecer curas e tratamentos aos pacientes.

Por outras palavras, segundo a Medicina tradicional chinesa, para um indivíduo ser saudável, o seu corpo deve estar em equilíbrio com a natureza, o que pode parecer para nós, pessoas habituadas à tradicional medicina ocidental, um conceito bastante estranho.

Para explicarmos realmente no que consiste a medicina tradicional chinesa, é preciso começar por apresentar dois conceitos fundamentais que servem como a base de toda esta abordagem médica: o yin e o yang

Qual o seu significado de Yin e Yang?

O conceito de Yin e Yang foi criado na China, há cerca de 8000 anos. Tudo começou quando o Imperador Fu His criou dois símbolos que representassem uma crença sua: que o mundo é feito de opostos, no qual um dá significado ao outro.

Por outras palavras, Yin Yang é um princípio da filosofia chinesa, onde estão representadas energias opostas, e o objetivo passa por encontrar um equilíbrio entre ambas:

  • Yin – representa, geralmente, um estado negativo associado a algo inativo, frio e escuro;
  • Yang- Em contraste, representa, geralmente, um estado positivo, associado a algo ativo, claro e quente;

Estes conceitos podem ser aplicados à terapia de várias formas. Por exemplo, quando um paciente tem febre, apresenta excesso de yang e como tal, existe um desequilíbrio entre os dois opostos, sendo que o tratamento passa por converter o excesso de yang em yin, reestabelecendo o equilíbrio entre os dois.

Condições associadas ao YinCondições associadas ao Yang
FrioFebre
HipotermiaHipertermia
Pouca transpiraçãoElevada transpiração
Urina transparenteUrina amarelada
PalidezRubor

A medicina tradicional chinesa trata doenças?

A medicina tradicional chinesa é usada para tratar e prevenir diversas doenças. No Ocidente, esta terapia é normalmente procurada por aqueles que desejam tratar doenças para as quais a medicina tradicional não possui ainda soluções satisfatórias, como por exemplo, o tratamento de alergias – que já se comprovou como eficaz.

Além disso, vários estudos indicam que a prática de tai chi pode ser útil para aumentar a estabilidade de pacientes com Parkinson, reduzir dores de ossos, costas e cabeça, bem como para promover uma melhor qualidade de vida e bem-estar. É ainda útil no que toca a melhorar a qualidade do sono e o sistema imunitário dos pacientes.

No entanto, vale a pena reforçar que, apesar de a medicina tradicional chinesa já existir há milhares de anos, os estudos que comprovam a sua eficácia no combate a determinadas doenças são ainda escassos, sendo este um assunto ainda alvo de grandes ceticismos pela comunidade de médicos ocidentais. Apesar de já se ter comprovado a sua utilidade para vários tratamentos, ainda diversas investigações estão a ser desenvolvidas, e continuarão a ser nos próximos anos, como forma de apurar as verdadeiras potencialidades desta terapia.

Quais as modalidades da medicina chinesa?

As modalidades praticadas na medicina tradicional chinesa (MTC) são basicamente os métodos adotados para tratar determinadas doenças ou problemas verificados na vida dos pacientes. Por vezes, pode ser aplicada mais do que uma modalidade ao tratamento de um só paciente. Assim, seguem-se agora as modalidades mais famosas da MTC:

  • Tai chi: trata-se de uma combinação entre uma arte marcial e meditação, sendo muito comum na China;
  • Massagem chinesa: utilizada para equilibrar o yin e o yang, para regular o sangue e relaxar os músculos e tendões;
  • Dietética chinesa: inclui suplementos, e a inclusão e exclusão de certos alimentos na dieta chinesa;
  • Fitoterapia chinesa: método que utiliza substâncias medicinais como plantas, minerais e também produtos de origem animal para encontrar o equilíbrio no corpo humano.

Como é o diagnóstico de um paciente na MTC?

Como já seria de esperar, a medicina tradicional chinesa recorre a métodos menos convencionais para recolher o diagnóstico de determinado paciente. Para ser mais concreto, a medicina tradicional chinesa recorre ao método dos quatro diagnósticos, que envolve a recolha do historial do paciente, a inspeção, a auscultação, e recorre-se ainda ao olfato e à palpação.

  • Recolha do historial: tal como o nome indica, é nesta primeira fase que o terapeuta recolhe informações sobre a saúde do paciente, fazendo-lhe diversas questões, entre as quais se possui historial de doença na família, sintomas, quais as suas queixas, etc.
  • Inspeção: aqui é realizada uma análise unicamente baseada na aparência do paciente. Analisam-se fatores como a vitalidade, expressão facial, postura, cor, pele, cabelo e principalmente a textura e formato da língua;
  • Auscultação: não, não consiste na auscultação tradicional à qual estamos habituados. O terapeuta de MTC não ouve os nossos batimentos cardíacos, mas sim a nossa voz, mais concretamente a sua força, rapidez ou lentidão durante a fala;
  • Olfato: este método consiste na avaliação dos odores do paciente, entre os quais odores do hálito, do corpo e das excreções;
  • Palpação: consiste em sentir as partes corporais do paciente, principalmente o pulso, que na medicina tradicional chinesa está muito relacionado com o sangue e os órgãos.

Após o diagnóstico ser realizado, o terapeuta irá recomendar diferentes tratamentos que têm como principal objetivo restabelecer o equilíbrio entre o yin e o yang, as bases da medicina tradicional chinesa, pois de acordo com a mesma, só assim o ser humano consegue ser saudável – sempre através do equilíbrio. De acordo com as necessidades do paciente e tendo em conta a sua constituição, idade, género e condições geográficas, o terapeuta aplicará uma das modalidades de MTC anteriormente mencionadas.

Acupunctura: será um método fiável?

A acupunctura foi inicialmente praticada na China, espalhando-se depois para países vizinhos na Ásia, e é atualmente o método mais popular de medicina tradicional chinesa no Ocidente.  

O objetivo da acupunctura é manter a saúde do paciente através da introdução de longas e finas agulhas metálicas na pele do mesmo, em pontos que correspondem a partes e funções específicas do corpo, e que se encontram mapeados num sistema de meridianos.

O número de meridianos vai de 14 e 20, sendo estes considerados canais que ligam o corpo numa matriz do tipo teia com, pelo menos, 2000 pontos de acupunctura. Segundo a medicina tradicional chinesa, todos estes pontos permitem a movimentação de energia pelo corpo todo.

Geralmente, a acupunctura é utilizada para tratar dores recorrentes de cabeça e de costas, bem como dores nas articulações, no pescoço ou cefaleias. Além disso, a acupunctura ajuda a diminuir as náuseas e vómitos associados à gravidez, quimioterapia e anestesia.

Contudo, existe ainda um certo ceticismo por parte dos profissionais de medicina tradicional ocidental em relação à acupunctura, até porque são poucos os estudos que comprovam a eficácia desta terapia em pacientes com determinadas patologias.

A medicina tradicional chinesa é segura?

Assim como em todas as formas de terapia não convencionais, é importante que o paciente consulte um profissional especializado e devidamente qualificado. Além disso, deve sempre consultar o seu médico de família, informando-o de que pretende recorrer a uma medicina alternativa.

É importante esclarecer que, geralmente, o paciente não deve usar a medicina tradicional chinesa para substituir um tratamento convencional, mas sim como um complemento. No entanto, os casos variam de pessoa para pessoa, daí a importância de se aconselhar com um médico.

Mas será a medicina tradicional chinesa um método seguro de tratamento? Bem, a principal fonte de reações adversas no seio da medicina tradicional chinesa acontece na fitoterapia, uma modalidade desta medicina oriental, onde são ingeridas determinadas substâncias à base de plantas, sendo que algumas delas podem apresentar propriedades tóxicas quando não recomendadas por um profissional especializado.

Já foram encontradas substâncias contaminadas nas plantas ingeridas devido a este tratamento, sendo que os efeitos secundários passam por arritmias cardíacas severas, vómitos, náuseas e mal-estar.

Quanto a outros incidentes, é possível que durante uma sessão de acupunctura as agulhas sejam mal posicionadas devido a movimentos que o utente faça ou a uma má colocação por parte do profissional, o que pode causar dor e feridas. No entanto, de todas as modalidades de medicina tradicional chinesa, a que apresenta maior risco é sem dúvida a fitoterapia.

Portanto, apesar dos seus efeitos positivos, tal como em qualquer outro tratamento, quando não existe a supervisão e aconselhamento de um profissional especializado, incidentes negativos podem ocorrer.

A medicina tradicional chinesa é ainda uma área alvo de inúmeros estudos e incertezas. O ceticismo e dúvidas existentes por parte da comunidade médica ocidental faz com que muitos pacientes tenham ainda receio de recorrer a este método alternativo, o que é compreensível.

No entanto, existem métodos da medicina tradicional chinesa já cientificamente comprovados como eficazes na resolução de determinados problemas, portanto basta aconselhar-se com um médico de família e procurar um terapeuta profissional para o ajudar a implementá-los, caso assim o queira.

Catarina Fonseca

Desde cedo uma curiosa nata, decidiu seguir Ciências da Comunicação para desenvolver a sua paixão pelo jornalismo e pela escrita. Agora formada, gosta de se aventurar pelo mundo, conhecer novas pessoas e culturas, e leva sempre um caderno e câmara fotográfica às costas para eternizar as suas experiências.