Aromaterapia: o que é, para que serve e cuidados a ter

Provavelmente já ouviu falar de algumas histórias antigas, segundo as quais era comum aplicar determinados óleos ou recursos naturais, como flores ou plantas, sobre áreas afetadas para curar determinadas doenças ou problemas.

A verdade é que a aromaterapia não ficou guardada nas décadas ou séculos passados, pois está hoje em dia mais viva do que nunca. Os óleos essenciais e a aromaterapia são conceitos cada vez mais falados na cultura ocidental que até há pouco tempo duvidava da eficácia destes métodos considerados antiquados.

Neste artigo, explicamos-lhe por que razão a aromaterapia é ainda hoje relevante e como pode fazer uso desta para obter melhorias na sua vida.

O que é e como surgiu a aromaterapia?

A aromaterapia consiste na utilização de óleos essenciais para fins terapêuticos

A aromaterapia consiste na utilização de óleos essenciais para fins terapêuticos, tendo como objetivo promover o equilíbrio e bem-estar do indivíduo. Os óleos podem ser obtidos através de plantas, flores, frutos, raízes, resinas ou troncos, e cada um apresenta características específicas e aromas diferentes.

Acredita-se que os óleos essenciais são utilizados desde a Antiguidade para diferentes propósitos. Contudo, só a partir do século XX é que se começou a comprovar a eficácia da aromaterapia perante determinados problemas.

Consta-se que em 1920, um químico francês queimou a mão, e na altura decidiu aplicar óleo de lavanda sobre a queimadura. Rapidamente verificou que o ferimento regrediu significativamente e que nenhuma cicatriz ficou para comprovar o acontecimento. A partir desse momento, decidiu estudar a ação terapêutica dos óleos essenciais, o que deu origem à técnica da aromaterapia como hoje a conhecemos.

Atualmente, países como França, Reino Unido e Alemanha investem em vários estudos que pretendem comprovar o efeito dos óleos essenciais e, consequentemntem da aromaterapia, na saúde de pacientes que sofrem de determinados problemas.

Quais os benefícios da aromaterapia?

A aromaterapia tem inúmeros benefícios

A nível físico, as moléculas pequenas dos óleos essenciais têm a capacidade de penetrar a pele de forma mais profunda, o que permite melhorar a circulação, aliviar dores e auxiliar no processo de renovação celular. Além disso, nos mais pequenos, a aromaterapia pode ajudar de forma preventiva contra constipações ou alergia, e pode ainda resolver problemas como cólicas ou perturbações no sono.

Já a nível emocional, os benefícios da aromaterapia são também notórios. Sabia que o olfato é o sentido mais primitivo que possuímos por estar ligado às partes mais profundas do nosso cérebro? Assim, ao cheirar o aroma dos óleos essenciais, conseguirá sentir melhorias também na sua mente.

Portanto, se ainda pensa que a aromaterapia é um método antiquado que os nossos antepassados usavam apenas porque não havia melhores opções medicinais na altura, chegou o momento de mudar de opinião, pois a sua eficácia está à vista.

Como é realizada a aromaterapia?

Os óleos podem ser usados na aromaterapia de diferentes formas

Os óleos essenciais usados na aromaterapia podem ser aplicados de diferentes formas, entre as quais:

  • Numa massagem: Este é o método mais popular de realizar aromaterapia. Aplique 6 gotas do óleo essencial à sua escolha e espalhe-o suavemente sobre a área que pretende tratar;
  • Num banho de imersão: Basta misturar o óleo essencial na água para obter os resultados pretendidos. A absorção é realizada através da pele e da inalação;
  • Através da vaporização: neste caso, terá de recorrer a difusores ou queimadores;
  • Aplicação direta: em casos específicos, como a picada de um mosquito, poderá aplicar o óleo diretamente na área afetada;
  • Através da ingestão: em alguns casos, e sempre com recomendação médica, alguns óleos essenciais podem ser ingeridos;

Quais os óleos essenciais e para que servem?

Existem inúmeros óleos essenciais que podem ser usados na aromaterapia

Vários óleos essenciais podem ser usados diariamente sem qualquer problema ou inconveniente. Entre os mais conhecidos usados na aromaterapia, estão:

  • Óleo essencial de eucalipto: Este é o óleo mais utilizado na aromaterapia pelas suas diferentes e abrangentes componentes, das quais se destacam a sua ação expetorante, analgésica, depurativa e antiviral. É utilizado para ajudar perante tosse, grupes, sinusite e rinite. Além disso, por possuir um efeito refrescante sobre o corpo, este óleo pode ser utilizado para diminuir a febre e reduzir/melhorar as enxaquecas. Já a nível dermatológico, o óleo de eucalipto pode ser utilizado em queimaduras, cortes, feridas, bolhas e picadas de insetos. Por fim, oferece ainda benefícios no que toca ao tratamento de dores articulares.
  • Óleo essencial de lavanda/alfazema: Apresenta ótimos benefícios, atuando como um óleo calmante, relaxante, sedativo e antidepressivo. Este óleo pode ser utilizado para combater sintomas como o stress e ansiedade. Neste último caso, pode colocar-se uma gota de óleo numa colher de chá e ingerir duas vezes ao dia para melhorar o seu estado. Além disso, o óleo de lavanda/alfazema apresenta benefícios especificamente dirigidos a mulheres, como alívio de dores menstruais e controlo dos sintomas da menopausa. Pode contar com este óleo também para o combate a constipações e gripes.
  • Óleo essencial de bergamota: Semelhante ao óleo anterior, poderá contar com a bergamota para combater stress, tensão e depressão. Este óleo poderá ainda apresentar benefícios face a problemas urinários e de estômago. A nível dermatológico, ajuda em problemas de acne, psoríase, eczema e oleosidade.
  • Óleo essencial de hortelã-pimenta: Famoso pela sua ação analgésica, anti-inflamatória e digestiva, este óleo é muito utilizado no tratamento de dores de cabeça, prevenindo eficazmente as enxaquecas. Pode ainda ajudar a combater as cólicas e náuseas. Se sofrer de azia, pode colocar uma gota deste óleo numa colher de chá e ingerir após as refeições.
  • Óleo essencial de árvore do chá: Serve como um grande estimulante do sistema imunológico, sendo um grande aliado no que toca ao tratamento de infeções virais, bacterianas e fúngicas. Este óleo pode ser usado mais concretamente perante gripes, herpes labial e fungos nas unhas.

Diferença entre óleos essenciais e essências

As essências são produtos sintéticos, enquanto os óleos são naturais

Muitas pessoas confundem estes dois conceitos, mas não o devem fazer, pois na prática, são realmente muito diferentes. Os óleos utilizados na aromaterapia são 100% naturais, pois são completamente extraídos das plantas.

Por outro lado, as essências consistem em produtos sintéticos concebidos em laboratório, portanto, são exatamente o contrário de algo natural (como são exemplos os óleos usados na aromaterapia). Além disso, as essências são geralmente utilizadas para perfumar um espaço, não sendo aplicadas para qualquer propósito terapêutico.

O que considerar ao comprar os óleos essenciais?

Nem todos os óleos essenciais (usados na aromaterapia) disponíveis no mercado são eficazes ou de elevada qualidade, portanto é necessário conhecer os fatores de diferenciação entre os óleos certos e os não adequados. Quando estiver à procura do produto em questão, tenha em conta estas três indicações chave:

  1. O frasco deve ser castanho escuro, azul escuro ou metalizado;
  2. Os óleos devem ser 100% puros, originários da agricultura biológica;
  3. Os óleos essenciais devem conter o nome da planta em questão em latim.

Pode encontrar óleos essenciais para aromaterapia à venda em locais como o Celeiro, Plena Natural ou Aromas & Sentidos. Se tiver alguma questão, e se principalmente não tiver a certeza de que está a escolher o produto certo, aborde um trabalhador da loja onde estiver, que saberá certamente ajudá-lo.

Estes óleos essenciais oferecem benefícios em inúmeras áreas e face a diversos problemas. No entanto, no caso de ingestão destes produtos, tenha sempre em conta uma recomendação médica e antes de efetuar qualquer compra, certifique-se de que verifica as indicações mencionados anteriormente, que lhe permitirão saber se está a comprar um óleo essencial eficaz e natural em vez de um produto artificial e menos capaz de fornecer os resultados desejados.

Esperamos ter contribuído conhecer um pouco melhor a aromaterapia!

Catarina Fonseca

Desde cedo uma curiosa nata, decidiu seguir Ciências da Comunicação para desenvolver a sua paixão pelo jornalismo e pela escrita. Agora formada, gosta de se aventurar pelo mundo, conhecer novas pessoas e culturas, e leva sempre um caderno e câmara fotográfica às costas para eternizar as suas experiências.