Naturopatia: de que forma beneficia o corpo humano?

A naturopatia envolve um conjunto de terapias alternativas que oferece benefícios ao ser humano, tanto a nível físico como psicológico. Apesar de ser maioritariamente utilizada como um complemento a tratamentos diversos, a naturopatia e as suas componentes podem até mesmo substituir determinadas abordagens da medicina tradicional.

Neste artigo, explicamos no que consiste a naturopatia e de que forma esta é capaz de beneficiar as pessoas a que a ela recorrem.

O que é a naturopatia?

A naturopatia, é uma terapia alternativa cujo objetivo é promover melhorar a qualidade de vida

A naturopatia, ou medicina naturopática, é uma terapia alternativa cujo objetivo é promover uma melhor qualidade de vida, integrando várias modalidades terapêuticas, entre as quais: homeopatia, hidroterapia, fitoterapia ou terapia nutricional.

Além de ser usada como uma ferramenta para promover hábitos de vida saudáveis, a naturopatia serve ainda para tratar determinados problemas.

De acordo com a naturopatia, o corpo precisa de determinadas condições básicas para funcionar corretamente, entre as quais a administração dos nutrientes certos, descanso apropriado, prática regular de exercício físico, e contacto com ar puro, água limpa e luz solar.

Quais são os princípios da naturopatia?

A fisioterapia é uma das terapias que engloba a naturopatia
  1. O poder regenerador da natureza: a naturopatia pretende remover qualquer obstáculo que possa perturbar o equilíbrio do organismo (normalmente doenças e mal-estar);
  2. Identificar e tratar a causa: a naturopatia procura identificar e tratar a causa do desequilíbrio do organismo;
  3. Métodos não invasivos: o naturopata tenta ao máximo não prejudicar o paciente, optando por métodos e componentes com baixo risco de surgimento de efeitos secundários;
  4. Reconhecer e trabalhar com o processo de regeneração de cada paciente;
  5. Recomendar outro tratamento apropriado caso se concluir que a naturopatia não é a solução para determinado problema;
  6. Terapeuta/Mentor: os naturopatas ensinam e encorajam os seus pacientes a adotar hábitos saudáveis;
  7. Prevenção: o grande objetivo da naturopatia é prevenir doenças, e como tal, o naturopata recomenda ao paciente hábitos que possibilitem este cenário.

Quais as terapias que a naturopatia engloba?

A meditação faz parte da naturopatia

A naturopatia engloba uma série de tratamentos terapêuticos, sendo que cada um deve ser recomendado pelo naturopata tendo em conta a sua apropriação ao estado clínico do paciente.

Apesar de diferentes, estas terapias têm todas um objetivo comum: estimular as defesas naturais da pessoa e restabelecer o equilíbrio do organismo para que este funcione corretamente. Assim, de seguida apresentamos algumas das terapias que englobam a naturopatia:

Como é possível observar, os tratamentos são inúmeros. Como já mencionado, cada terapia de naturopatia serve um propósito diferente e deve ser recomendada considerando o estado clínico do paciente.

No entanto, vale a pena notar que nem todas as terapias que englobam a naturopatia são apropriadas para todas as pessoas. Por exemplo, mulheres grávidas, a amamentar, ou pessoas que sofrem de problemas cardíacos são frequentemente confrontadas com restrições face a estes tratamentos alternativos, pois estes podem causar consequências negativas nos pacientes em questão.

Por essa razão é que é tão importante consultar sempre um médico que o possa avaliar, como forma de saber qual o tratamento apropriado para si.  

Que problemas tratar a naturopatia?

A escolha a terapia mais adequada é feita em função do sintomas do paciente

Em primeiro lugar, é importante notar que a naturopatia não serve apenas para tratar problemas, mas também para os evitar. Aliás, de acordo com os seus princípios, o grande objetivo da naturopatia é prevenir doenças e estimular um estilo de vida saudável, só depois é que o foco se dirige para o tratamento de possíveis problemas.

Portanto, o terapeuta de naturopatia pode simplesmente aconselhar ao paciente diferentes abordagens na sua vida, como forma de promover a qualidade da mesma. Entre as sugestões mais recomendadas encontra-se a prática de exercício físico, o seguimento de uma dieta saudável, entre outras.

No entanto, iremos agora focar-nos nos problemas que podem ser resolvidos com a naturopatia. Como já mencionado, a naturopatia engloba uma variedade de terapias, que podem ou não ser aplicadas consoante o caso clínico de cada doente. Por exemplo, se uma pessoa sofrer de mialgias, o terapeuta profissional poderia indicar a hidroterapia (uma das abordagens da naturopatia), que através do uso da água consegue prevenir e tratar esta como várias outras doenças.

Se por outro lado, o paciente procurar uma mudança na sua dieta, o terapeuta poderá aconselhar a dietoterapia, através da qual se seleciona os alimentos mais benéficos para o doente. 

Portanto, no que diz respeito a escolher o tratamento mais apropriado no seio da naturopatia, o terapeuta irá analisar os sintomas do paciente, ter em conta o seu histórico médico, e só depois aconselhar qual o método mais correto e promissor a nível de resultados.

De seguida, apresentamos alguns problemas sobre os quais a naturopatia pode atuar de forma benéfica:

  • Asma;
  • Gripe;
  • Obesidade;
  • Fadiga crónica;
  • Sintomas de menopausa;
  • Enxaquecas;
  • Insuficiência cardíaca
  • Ansiedade;
  • Dores crónicas;
  • Hipertensão;
  • Etc.

Além dos problemas mencionados, a naturopatia e as suas diferentes componentes terapêuticas podem ainda amenizar os efeitos secundários da quimioterapia e radioterapia.

A naturopatia é uma abordagem segura?

Embora a naturopatia seja segura, podem sempre surgir efeitos indesejados

É importante lembrar que quando falamos em naturopatia, falamos num conjunto vasto de terapias e portanto, há que pensar na segurança de cada uma delas para chegar a uma conclusão final acerca da fiabilidade da naturopatia propriamente dita. Assim, de modo geral, é possível afirmar que a naturopatia, e as suas respetivas terapias envolventes, são métodos seguros de tratamento face a vários problemas.

No entanto, podem surgir efeitos indesejados às diferentes terapias da naturopatia. Normalmente, as consequências negativas surgem quando o paciente não segue as recomendações fornecidas.

Por exemplo, se uma pessoa iniciar um tratamento associado a qualquer uma destas terapias sem primeiro receber aconselhamento médico, o risco de surgimento de problemas é mais elevado. Pessoas com certos problemas de saúde encaram frequentemente restrições ou ficam até mesmo proibidas de iniciar determinadas terapias devido aos efeitos prejudiciais que estas podem, por vezes, trazer. Mas isto não quer dizer que a naturopatia não seja segura!

Além disso, se o paciente ingerir doses erradas de determinados medicamentos, tal poderá também provocar efeitos indesejados. Portanto, consulte sempre um profissional e siga à risca as dicas que este recomenda. Só assim poderá evitar consequências negativas.

Resumidamente, a naturopatia pretende promover um bem-estar geral e uma consequente qualidade de vida melhor, o que pode ser alcançado através das terapias alternativas associadas a este método medicinal cada vez mais comum. No entanto, recomendamos sempre a aconselhar-se junto de um profissional, pois como já mencionado, estas terapias podem não ser recomendadas para todas as pessoas.

Esperamos que este artigo tenha ajudado!

Catarina Fonseca

Desde cedo uma curiosa nata, decidiu seguir Ciências da Comunicação para desenvolver a sua paixão pelo jornalismo e pela escrita. Agora formada, gosta de se aventurar pelo mundo, conhecer novas pessoas e culturas, e leva sempre um caderno e câmara fotográfica às costas para eternizar as suas experiências.